Aos 36, R. Oliveira supera limites do corpo e lidera Santos ao bi paulista

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

Aos 36 anos, Ricardo Oliveira já se prepara para a reta final da carreira. Mesmo assim, segue sendo uma das lideranças do elenco do Santos. Contratado no início de 2015, o atacante foi campeão paulista pela equipe em 2015 e em 2016. Nas duas finais, contra Palmeiras e Grêmio Osasco Audax, balançou as redes e foi fundamental para os títulos santistas. O camisa 9 ainda marcou nas finais da Copa do Brasil diante do Palmeiras, mas o time acabou com o vice-campeonato.

Talvez nem o próprio jogador esperasse tantos resultados desde que voltou à Vila Belmiro. "Eu já disse que meu maior objetivo aqui nunca foi ser ídolo. Eu voltei para o Santos para marcar uma história bonita. Acho que essa história está sendo construída - com exemplo, com dedicação, com resultados. Em um ano e meio, são três finais e dois títulos", disse Ricardo Oliveira neste domingo. "Eu acho que estou deixando um marco legal para os jogadores mais jovens. É uma honra dividir o vestiário com cada um deles", completou.

Autor do gol da vitória por 1 a 0 sobre o time de Osasco, Ricardo Oliveira era dúvida antes da partida. A decisão de atuar foi tomada por ele antes do jogo – e ele não esconde que valeu a pena.

Apito final, taça e torcida: veja a festa na Vila Belmiro

  •  

"Foi (decisão) minha com o departamento médico, com os fisioterapeutas - e com o Dorival (Júnior), é claro, com a comissão técnica... É uma decisão (de campeonato) e vale um sacrifício. Eu entendo o peso de responsabilidade que eu tenho, por ser um dos líderes deste elenco, por ser capitão. Eu acho que nos temos que contagiar. Acredito muito no exemplo. Acho que líder é isso: além de palavras, teme que dar exemplo lá dentro", afirmou.

Apesar da idade avançada, Ricardo Oliveira foi um dos convocados para a seleção brasileira que disputará a Copa América 2016 nos Estados Unidos. O Santos contará ainda com Lucas Lima e Gabigol no time de Dunga, o que deverá desfalcar o campeão paulista no início do Campeonato Brasileiro.

Problema para os santistas? Ricardo Oliveira duvida. "(Os demais jogadores) estão prontos. Jogaram vários jogos nesse campeonato sem a gente, foram bem, fizeram gols, ajudaram o time a vencer. Nosso time, nosso elenco é muito forte", afirma Ricardo Oliveira, que diz que o time deve pensar na conquista do Campeonato Brasileiro 2016.

"Se eu falar para você que não dá para pensar que é possível, eu não sou merecedor de vestir esta camisa. A gente está falando do Santos. Mas, é claro, o Campeonato Brasileiro é muito difícil, a gente sabe. Precisamos ser fortes dentro de casa e mostrar a mesma força fora. Não se ganha um Campeonato Brasileiro vencendo só dentro de casa; você tem que vencer fora também. Essa camisa exige isso. Após a comemoração do campeonato (paulista), é momento de refletir e colocar novos desafios. Isso começa pelo Campeonato Brasileiro. É momento de a gente brigar para ganhar esse campeonato", declarou.

O título brasileiro pode encerrar a carreira de Ricardo Oliveira. A cabeça não quer, mas nem ele sabe até onde o corpo aguenta chegar.

"Falar de limites é difícil. Sempre fui um cara muito pé no chão, cauteloso. Até onde o corpo der uma resposta positiva, eu vou. O comando, que é minha cabeça, ainda almeja muitas coisas aqui. Eu só preciso que o corpo me ajude", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos