Santos usa contra-ataque fatal, bate Audax na Vila e é bicampeão paulista

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

Pela quinta vez em oito anos, o Santos domina o futebol paulista. Jogando no contra-ataque dentro de sua própria casa, a equipe da Vila Belmiro superou a surpresa Audax, venceu por 1 a 0 e ergueu o título do Campeonato Paulista, o segundo consecutivo - venceu o Palmeiras em 2015. Capitão santista, Ricardo Oliveira foi o responsável pelo único gol do duelo.

Com o 22º título paulista, o Santos iguala o Palmeiras como segundo maior campeão do Estado. O Corinthians lidera com 27 conquistas, enquanto o São Paulo é o quarto, com 21.

Apito final, taça e torcida: veja a festa na Vila Belmiro

  •  

Mantendo o mesmo padrão dos jogos dentro de casa, o Audax dominou a posse de bola durante todo o duelo, mas não conseguiu superar o goleiro Vanderlei. Nas duas grandes chances que teve no duelo, acertou a trave com Tche Tche e Ytalo.

Campeão, o Santos volta agora sua atenção para a Copa do Brasil. Na próxima quarta-feira (11), o time da Vila Belmiro vai até o Acre enfrentar o Galvez, pela segunda fase do torneio.

"TIKI-TAKA PAULISTA" PARA NA LINHA SANTISTA

O Audax não mudou seu estilo de jogo para enfrentar o Santos dentro da Vila Belmiro. Com muito toque de bola, o time de Osasco chegou a ter 70% de posse de bola, mas deu pouco trabalho ao goleiro Vanderlei. Na melhor chance, aos 31 minutos da primeira etapa, Tche Tche parou na trave.

E a culpa da dificuldade de incomodar o goleiro adversário passa muito pelo estilo de marcação do Santos. Paciente e postado em uma linha de cinco jogadores quando o adversário se aproximava da área, o time da Vila Belmiro dava pouquíssimo espaço ao Audax e esperava sempre uma oportunidade para puxar um contra-ataque.

AUDAX DOMINA, MAS CONTRA-ATAQUE SANTISTA É FATAL

 

E foi justamente em um contra-ataque que o Santos chegou ao seu gol. Aos 44 minutos do primeiro tempo, Vitor Bueno ganhou a bola de Camacho e partiu para o ataque. O meia tocou em profundidade para Ricardo Oliveira, que deu lindo drible em Bruno Silva e tocou na saída de Sidão para abrir o placar.

ARBITRAGEM IMPEDE SANTOS DE AMPLIAR

Depois de pressionar durante toda a partida, o Audax havia diminuído a intensidade aos 36 minutos do segundo tempo. Foi nesse momento que Joel invadiu pela esquerda e bateu cruzado para fazer o segundo gol santista. A arbitragem marcou impedimento do camaronês e anulou o gol. A posição do atacante, no entanto, era legal.

DA ESPERANÇA AO CHORO

 

Lesionado no tornozelo na primeira partida da final, Lucas Lima foi escalado no "sacrifício" como titular na Vila Belmiro. A tentativa, no entanto, durou apenas 26 minutos. O meia caiu sozinho no gramado e foi às lágrimas. Ele precisou ser substituído por Paulinho.

A lesão no tornozelo de Lucas Lima era considerada de grau 1 e, normalmente, precisa de dez dias de recuperação. No entanto, o atleta foi escalado um pouco no 'sacrifício' devido a importância da partida.

MAIS UM ATRASO

O início da decisão foi adiado por causa de sinalizadores acesos pela torcida santista. A fumaça produzida pelos artefatos fez com que o árbitro Raphael Claus retardasse o início em quase sete minutos. Em um determinado momento, Ricardo Oliveira, capitão do Santos, chegou a pedir para que os torcedores apagassem os sinalizadores.

Caso parecido aconteceu na última quarta-feira, antes do início da partida entre Corinthians e Nacional-URU. Na ocasião, o duelo também começou com atraso.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos