Carille confirma novo titular na lateral e nega que impeachment interfira

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Fábio Carille fará modificações no Corinthians em razão da parte física, mas uma troca é técnica. Moisés, que defendeu o Bahia em 2016 e iniciou o ano como titular, cede a partir de agora a posição para Guilherme Arana, de volta da seleção sub-20. Nesta sexta, Carille confirmou essa troca, adiou a escalação da equipe que, no sábado, visita o Audax. Ele só negou que o impeachment, a ser votado segunda no Conselho Deliberativo, possa interferir. 

"Sim (Arana na equipe). É o processo natural, ele era o substituto do Uendel e, com a saída dele, passa a ser titular", comentou Carille. 

"Não gosto de fazer isso. O que eu gosto é de confirmar a equipe, mas não deu 36 horas do jogo de quarta ainda. Alguns jogadores reclamaram de cansaço, por isso treinei a outra equipe, mas vou definir amanhã. A única certeza é a volta do Arana, que era o substituto imediato do Uendel e só não começou no time porque estava na seleção", acrescentou. 

"O impeachment não está influenciando. Independente de qualquer coisa, aqui é pressão se você perde qualquer jogo. Acho que isso não muda e temos tranquilidade para trabalhar aqui", disse ainda. 

Sem Marlone e Giovanni Augusto, que têm volta estimada para quarta, e Marquinhos Gabriel, que ainda deve permanecer uma semana fora, o Corinthians poderá ter ainda os desfalques de Fellipe Bastos e Jô, que não treinaram no campo nesta sexta. Independente da escalação, que assim pode ter Camacho, Léo Jabá e Kazim, as estratégias estão desenhadas.  

"Importante é ter o elenco todo à disposição e a gente prepara todos. O espaço no início de temporada está aberto e todos brigam por espaço.
Foi programado hoje (o desenho para o jogo), estamos programando duas situações para marcar. Quero parabenizar o Audax por botar a bola no chão e jogar. Isso é bom para o futebol. Temos duas estratégias para marcar sob pressão", disse Carille.

"O ataque é o setor que precisamos melhorar, independente das peças. De quarta a sábado é na conversa e não no trabalho. Mas a definição da equipe só acontece amanhã. A parte ofensiva tem um tempo maior, a parte defensiva é mais fácil de acertar, destruir é mais fácil que construir. Contra o Novorizontino tivemos menos oportunidades que do Santo André e ganhamos. Até aqui, são 5 vitórias, um empate e uma derrota no ano", explicou. 

Por fim, Carille ainda tratou sobre Jadson, que se vê em evolução após quase duas semanas de trabalhos. "Está ótimo o Jadson, está muito interessado em melhorar. Ontem partimos de uma ideia de um trabalho em 70 metros do campo, na segunda teremos um jogo treino com o Água Santa para que ele participe. Em mais ou menos 15 dias estará em campo", afirmou. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos