Baptista defende Felipe Melo e vê Palmeiras premiado por persistência

Do UOL, em São Paulo

O treinador Eduardo Baptista não atraiu para si os méritos pela vitória de virada do Palmeiras, sobre o Santos, neste domingo. Em sua análise após ganhar por 2 a 1, Baptista ressaltou a persistência da equipe que ganhou em lances de dois jogadores colocados por ele. Como de costume, Baptista também saiu em defesa de Felipe Melo, que foi provocado e provocou torcedores de volta ao fim do clássico. 

"O Felipe dá equilíbrio ao time, tem um passe vertical muito bom e se criaram situações pelo pé dele, com Mina e outros participando. A torcida tenta desequilibrar, mas em nenhum momento desequilibra o Felipe. Podem até pegar no pé, mas ele não sai da frieza dele e do que tem que fazer. Ele jogou com amarelo o tempo contra Lucas Lima, com Santos na Vila, com Thiago Maia, com um time muito leve. Jogou o segundo e primeiro tempos bem e sem cartão ou falta desleal. Manteve o equilíbrio dele e nos ajudou", comentou Eduardo. 

"O jogo vai até 49, 50 minutos, e a gente aprendeu isso", disse o treinador, que no meio de semana bateu o Jorge Wilstermann com gol nos acréscimos. "Temos tomado decisões importantes e hoje não foi diferente. Sabíamos que tínhamos condições de agredir mais, de jogar mais no Santos, e Willian e Guedes nos deram oportunidades boas e conseguimos chegar o tempo todo pelos lados. Sabíamos que é por onde teríamos mais sucesso e também por isso coloquei o Egídio para tentar cruzar essa bola também", disse ainda o treinador. 

"O Palmeiras tem um time experiente, com qualidade, que briga demais nos jogos, que busca o resultado a todo momento e hoje foi premiado em não desistir do jogo, com uma grande vitória contra o Santos", resumiu. 

As defesas de Fernando Prass, cruciais para a vitória, também foram exaltadas pelo treinador. "O Prass é importante, aqui você tem que vir com um bom goleiro. O Santos tenta atacar de todas as maneiras, dobra a jogada na beirada, passa por dentro, então o Santos vai ter chances. Um grande goleiro como o Prass é importantíssimo. O goleiro do Santos também foi muito bem, pegou bolas importantes, é o bom futebol. Bom é assim. Duro é se a bola não chega nos goleiros. É o futebol que a gente prega, que a gente procura sempre equilibrar a equipe e, quando a gente puder fazer um futebol bonito, vamos fazer", comentou. 

Questionado se a participação dele próprio foi decisiva para a vitória, Eduardo Baptista recusou os louros. "O mérito é deles, a gente passa uma estratégia, trabalha isso, conversamos muito que o Santos se movimenta muito do lado direito, traçamos uma estratégia de marcar e jogar, tivemos êxito no primeiro tempo, já no segundo deixamos de jogar um pouquinho, mas depois, quando tomamos o gol, saíamos novamente para o jogo, tivemos participações maiores do Tchê Tchê e do Felipe Melo", resumiu. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos