Cinco motivos para o Palmeiras transformar clássico em uma 'decisão'

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Ale Cabral/AGIF

    Duelo na Vila encerra sequência desafiadora para Eduardo Baptista

    Duelo na Vila encerra sequência desafiadora para Eduardo Baptista

Um clássico decisivo. Com este pensamento, o Palmeiras desce a Serra do Mar para encarar o Santos neste domingo, às 18h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Paulista. Nem a confortável vantagem no Grupo C faz a equipe de Eduardo Baptista diminuir a intensidade para o duelo no litoral do Estado.

O Palmeiras lidera a sua chave com 18 pontos, oito a mais em relação a São Bento e Santo André, terceiro e quarto colocados, respectivamente, sendo que o alviverde ainda tem um jogo a menos que os rivais. A enorme diferença permite ao atual campeão brasileiro garantir passagem para a próxima fase com três rodadas de antecipação, em caso de uma vitória na Vila Belmiro.

Este panorama extremamente positivo, ainda mais em uma semana tensa pela vitória na Copa Libertadores contra o Jorge Wilstermann – 1 a 0, com gol de Yerry Mina aos 50min do segundo tempo -, fica em último plano no planejamento da comissão técnica.

São pelo menos cinco motivos, na visão de Eduardo Baptista, que levam o duelo deste final de semana, na Vila Belmiro, ter um caráter de decisão para o time alviverde. Afinal, independente de qualquer situação, um clássico é um clássico para o torcedor.

Topo do Estado

O Palmeiras possui um objetivo além da classificação. Eduardo Baptista citou, na última sexta-feira, o desejo de se ratificar como o melhor time do Estado de São Paulo antes mesmo da fase de mata-mata.

"O Palmeiras, por tudo que foi investido, tem como objetivo sempre o primeiro lugar, tanto na classificação quanto na fase de grupos é nosso grande objetivo. Queremos ir para as quartas e semi com objetivo de ser campeão, mas buscamos o primeiro lugar no Paulista e na primeira fase da Libertadores."

Reafirmar ideias

Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Um desafio na Vila Belmiro serve também para o treinador reafirmar os seus ideais de jogo. Por exemplo, com Edu Dracena e Yerry Mina na zaga, Eduardo Baptista quer impor de vez aos atletas mais recuados a função de construir o jogo ofensivamente.

"Hoje, os grandes articuladores são os zagueiros. Com Edu e Mina, a experiência do Dracena e um jovem de 23 anos com experiência enorme também, você une e dá uma química boa. Eu ganho passe e também taticamente", analisou o treinador, que gostou da participação da dupla no meio de semana.

"Estamos produzindo um vídeo do Jorge Wilstermann com chances de gols, e quase todas as jogadas passaram pelos dois. O Mina é mais condutor de bola, o Dracena tem um passe muito bom por trás. A grande sacada dos dois é a armação que vem de trás", apontou Eduardo Baptista.

Visão de futuro

Os três pontos na Baixada Santista mexem com o ego palmeirense. Quebrar o tabu de seis anos sem vitórias na Vila Belmiro, embora nenhum atleta estivesse em campo e Eduardo Baptista nem imaginasse comandar o Palmeiras na época, servirá para o Palmeiras embalar de vez.

A comissão técnica já pensa no próximo mês, quando o Campeonato Paulista entrará na reta final e a Copa Libertadores avançará para a definição da fase de grupos.

"É importante vencer o Santos para dar rodagem a todos. Temos de entrar em abril com uma rodagem boa, com volume de treino e jogo equilibrados. É o nosso plano", disse Eduardo.

Consolidar de vez o trabalho

CESAR GRECO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Eduardo Baptista enfrenta resistência de torcedores, e as redes sociais servem como termômetro. A boa atuação diante do Santos, carregada do resultado positivo, derrubaria grande parte dos argumentos críticos. Fora que, na visão da própria comissão técnica, o trabalho avançaria níveis importantes, embora ainda seja início de temporada.

"A informação que eu uso é o dia a dia. Estamos vindo, depois da derrota no primeiro clássico [Corinthians 1 a 0, em fevereiro], em um período de recuperação boa, consolidação de sistemas. Temos de ganhar para buscar uma consolidação no trabalho. Isto é muito importante. (...) A vitória é fundamental", declarou Baptista.

'Mitar' em dura sequência

O duelo na Vila Belmiro encerra a dura sequência de quatro jogos, a qual poderia mudar o destino da atual comissão técnica. Depois de vitórias sobre São Paulo (3 a 0) e Jorge Wilstermann-BOL e empate contra o Atlético Tucumán-ARG, os três pontos na Vila Belmiro fechariam da melhor maneira possível as duas semanas mais competitivas do clube em 2017.

"Quando a gente colocou as duas tabelas juntas sabíamos do período e nos preparamos para ele. Passar bem pelos quatro jogos fortalece não só o trabalho da comissão técnica, mas a confiança dos jogadores", sentenciou o treinador palmeirense, que lidera os grupos tanto no Paulista quanto na Copa Libertadores da América.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos