Como Mattos ajudou a blindar E. Baptista em meio a 1º 'teste de fogo'

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • CESAR GRECO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

    Apoiado pela diretoria, Eduardo Baptista manteve as convicções e colhe os frutos

    Apoiado pela diretoria, Eduardo Baptista manteve as convicções e colhe os frutos

Eduardo Baptista passou pelo primeiro teste 'de fogo' do Palmeiras com louvor. Em quatro partidas, três vitórias (São Paulo, Jorge Wilstermann-BOL e Santos) e um empate (Atlético Tucumán-ARG) serviram para afastar a pressão externa sobre o treinador. Internamente, no entanto, o cenário era completamente diferente, inclusive nos momentos mais difíceis.

Dois fatores tranquilizaram o treinador: a autoconfiança e a manutenção da rotina do dia a dia. Mesmo no momento de maior pressão, após a derrota para o arquirrival Corinthians (1 a 0), quando o Palmeiras atuou mais da metade da partida com um homem a mais, o suporte da diretoria de futebol auxiliou o trabalho do dia a dia.

Eduardo Baptista e a diretoria, especialmente Alexandre Mattos, possuem contato praticamente diária, segundo apurou o UOL Esporte. O treinador troca ideias com os dirigentes, que, por outro lado, dão a autonomia para o treinador decidir qual caminho seguir.

A pressão externa nunca entrou na Academia de Futebol graças a esta rotina, responsável por blindar o treinador, agora ainda mais respaldado pela evolução e os resultados conquistados nas últimas duas semanas.

"Nunca fiquei assustado, preocupado. Tenho um cara aqui, o Alexandre Mattos, que me deixa muito tranquilo. A pressão de fora não entra aqui, eu me preparei para estar aqui, sou muito equilibrado e estou focado no campo", afirmou o comandante palmeirense.

"O Palmeiras tem tanto trabalho, que se você ficar preocupado com pressão, com tudo que ronda, você perde o foco. Não tenho essa preocupação e o foco é no trabalho apenas", acrescentou Eduardo Baptista.

Fora o apoio da diretoria de futebol, os jogadores também aprovam o trabalho do dia a dia de Eduardo Baptista, tão ressaltado por quem está no clube. Fernando Prass, um dos líderes do atual elenco e o principal ídolo dos torcedores, é elogioso para com o treinador.

"A gente analisa de uma forma diferente do torcedor. O torcedor não está aqui para ver o treino, não vive o nosso ambiente. Torcedor age com a paixão, com a emoção; de repente, chega em casa, senta no sofá e muda de opinião na hora do resultado, da arquibancada", amenizou Prass.

"Não entramos no jogo para provar que o Eduardo é um bom treinador, isso será demonstrado pelo nosso trabalho", complementou o goleiro palmeirense.

A confiança do elenco reflete muito o perfil do treinador. Eduardo Baptista é um estudioso, um 'nerd' do futebol. Antes do trabalho em campo, o treinador analisa vídeos – do próprio time e do adversário – e repassa as informações de maneiras minuciosas para o elenco.

Até detalhes não passam pelo atual treinador, como, por exemplo, para qual lado um jogador adversário prioriza o drible. Esses fatores agradam ao elenco e permitem a Eduardo Baptista se sentir tranquilo em relação ao próprio trabalho, mesmo diante da desconfiança de parte dos torcedores.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos