Algoz do Corinthians, Gilberto elogia Ceni no SP e critica calendário

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • CÉLIO MESSIAS/ESTADÃO CONTEÚDO

    Gilberto comemora gol

    Gilberto comemora gol

O São Paulo está há quatro partidas sem vencer (três empates e uma derrota) e levou gols nos últimos 12 confrontos. Tal retrospecto preocupa os torcedores. Para o atacante Gilberto, a queda de produção do time tem explicação e o elenco trabalha para que a situação seja normalizada já neste domingo, no clássico com o Corinthians.

"A gente está sem tempo de treinar e o calendário não ajuda muito. Não conseguimos jogar na mesma intensidade sempre. Acho que a intensidade caiu um pouco. Estamos trabalhando para voltar o mais rápido possível, principalmente nesse clássico que é importante para a gente", analisou o jogador.

Gilberto vive um bom momento no São Paulo. Substituto e Lucas Pratto, que serve à seleção argentina, o atacante é o artilheiro do time na temporada ao lado de Cueva, com sete gols. Neste domingo, no Morumbi, ele tem a oportunidade de melhorar o seu desempenho ao enfrentar o Corinthians.

No entanto, nem sempre foi assim a passagem de Gilberto pelo São Paulo. No ano passado, o jogador disputou dez partidas e marcou dois gols - sendo contestado por parte da diretoria e da torcida.

"Todo mundo sabe que cheguei abaixo da média. Tive várias conversas aqui, uma delas com o Pintado [auxiliar técnico], que é um ídolo. Ele, antes de o Rogério chegar, me incentivou bastante e falou do que precisava para vencer. A chegada do Rogério foi o ponto alto. Queria muito vencer aqui, mas estava travado e não conseguia jogar, não tive a oportunidade de começar jogos e é diferente entrar no decorrer da partida, para o centroavante é mais complicado. Rogério e Pintado foram essenciais, mas o trabalho com a fisioterapia também foi importante", disse Gilberto.

Em setembro de 2013, o centroavante virou algoz do Corinthians ao marcar três gols na vitória de 4 a 0 da Portuguesa, pelo Campeonato Brasileiro. Curiosamente, ele ficou muito perto de defender o Alvinegro em 2011. Na ocasião, ele havia se destacado pelo Santa Cruz e chamado a atenção dos corintianos. Porém, o clube paulista não quis pagar a multa rescisória e o jogador se transferiu para Internacional.

"Não tenho nada a ver com a situação. Já falei mil vezes, mas sempre perguntam. O Corinthians já passou na minha vida, mas sou jogador do São Paulo, gosto daqui, amo aqui e é onde quero ficar", afirmou o centroavante.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos