Ladrão de bola, garçom, matador...Números mostram os destaques do Palmeiras

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Daniel Vorley/AGIF

    Palmeiras terminou com a melhor campanha do Campeonato Paulista

    Palmeiras terminou com a melhor campanha do Campeonato Paulista

Finalizada a primeira fase do Campeonato Paulista, o Palmeiras assumiu o papel de favorito ao título por terminar com a melhor campanha da competição. Os números explicam a eficiência da equipe de Eduardo Baptista, que somou 25 pontos em 12 partidas. Com a ajuda do Footstats, site especializado em estatísticas de futebol, o UOL Esporte lista os líderes do elenco em quesitos importantes de um jogo de futebol.

Afinal, quem foi o melhor passador? O rei dos desarmes? O artilheiro? O grande garçom da campanha? Antes do primeiro compromisso válido pelas quartas de final, marcado para este domingo, às 19h (de Brasília), diante do Novorizontino, em Novo Horizonte, veja quem auxiliou Eduardo Baptista a alcançar a principal campanha do Estadual.

Confira abaixo os números:

Defesa que (também) passa

Um símbolo do estilo de Eduardo Baptista, que exige a participação dos zagueiros na construção ofensiva, se encontra entre os líderes de passes no Campeonato Paulista. Os quatro primeiros deste quesito formam a base defensiva titular: Vitor Hugo (376 passes em 10 jogos); Zé Roberto (355 em 9 partidas); Jean (326 em 9) e Edu Dracena (315 em 8).

Linha atacante de (boa mira)

Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Dos quatro atletas com melhor mira nesta primeira fase do Paulista, três deles chegaram ao Palmeiras no início do ano. Primeira opção a Miguel Borja na posição de centroavante, Willian acertou o gol adversário em 10 oportunidades (12 jogos). Michel Bastos (9 partidas) e Keno (10 duelos) aparecem logo atrás com 9, e o capitão Dudu completa o quarteto com 7 finalizações corretas em 10 confrontos.

Artilharia pesada

Dono da melhor mira do elenco em números absolutos, Willian lidera a lista de goleadores da equipe no Estadual, com quatro gols anotados. Róger Guedes aparece logo atrás com três e mostra sinais de evolução, já que anotara apenas quatro tentos no ano passado. Michel Bastos, que acerta o gol uma vez por jogo pelo menos, balançou as redes duas vezes, assim como Jean, Dudu, Tchê Tchê e Miguel Borja.

Garçom

Talvez na melhor fase desde que desembarcou no Palmeiras, Dudu ampliou ainda mais o papel de garçom dentro do elenco. No Paulista são seis passes para gols e 26 para finalizações de companheiros. Como grau de comparação, Michel Bastos é segundo com apenas três assistências; Jean e Willian 'Bigode' somam duas cada um.

LEONARDO BENASSATTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Rei do chuveirinho

Além do papel de garçom, o número de cruzamentos também atesta o estilo participativo de Dudu dentro da equipe de Eduardo Baptista. São 23 cruzamentos certos para companheiros dentro do Paulistão. É mais do que o dobro do segundo colocado dentro do elenco, o lateral-direito Jean.

Tempo de bola

O principal responsável pelos desarmes do Palmeiras no Campeonato Paulista é Egídio. Sim, o lateral-esquerdo foi quem mais atrapalhou os ataques adversários, com 22 ações corretas nas sete partidas disputadas. O 'pitbull' Felipe Melo aparece logo atrás com 21 em 9 duelos jogados, enquanto o reserva imediato Thiago Santos terminou a primeira fase com 20 em 7 confrontos. O quarto na lista? O atacante Willian, com 18.

Faltosos

A função de resguardar o setor defensivo carrega um ônus. Os três líderes nos desarmes também ocupam a ponta nas faltas. Thiago Santos parou os adversários de maneira ilegal 26 vezes (sete partidas) durante a primeira fase. Felipe Melo aparece em segundo com 17, mesmo número de Egídio. Vitor Hugo somou 14 durante a primeira parte da competição.

Cartões de débito

MIGUEL SCHINCARIOL/ESTADÃO CONTEÚDO

Felipe Melo, aliás, foi o único jogador do elenco a receber quatro cartões amarelos durante a fase de grupos do Campeonato Paulista. Vitor Hugo (fora do compromisso de domingo contra o Novorizontino por acúmulo de amarelos), Thiago Santos e Tchê Tchê somam três. Soma-se a este grupo de números negativos o lateral-esquerdo Zé Roberto, primeiro palmeirense expulso no Paulista, e logo na última quarta-feira, diante da Ponte Preta.

Ousados

Felipe Melo se intitula o 'ousado'. Em campo, no entanto, o grande representante da ousadia palmeirense é Keno. O ex-atacante do Santa Cruz é o maior driblador da equipe com 13 ações corretas. O capitão Dudu aparece logo atrás com 8, enquanto o recém-chegado Raphael Veiga abusou da habilidade em 6 oportunidades. Ah! Felipe Melo aparece logo atrás com 5, mesmo com maiores responsabilidades defensivas.

Só alongar quando preciso

A ideia de um estilo com passes mais curtos e aproximação dos jogadores causa uma peculiaridade nos números palmeirenses. O jogador que mais acertou lançamentos durante a primeira fase do Paulista foi Fernando Prass, com 37 bolas longas corretas para os companheiros. Somente em caso de necessidade, o Palmeiras apela para os longos lançamentos. Tanto que quem mais se aproxima é Michel Bastos (16) e Felipe Melo (13).

Fora de tempo

Em um futebol de curtos espaços, o tempo de bola dos atacantes sobre os passes dos companheiros se torna cada vez mais fundamental. No Palmeiras, a média de impedimentos é baixa, com o líder (Willian) flagrado em apenas sete oportunidades. Dudu e Róger Guedes (3) aparecem, e logo atrás vem Edu Dracena (sim, o zagueiro), com 2.

Sai daqui!

Em compensação ao fato de aparecer na lista dos mais impedidos, o zagueiro veterano, na defesa, tem feito uma temporada em alto nível, elogiada até por Eduardo Baptista. Edu Dracena afastou 89 bolas da área palmeirense e ocupa a primeira colocação – são pouco mais de 8 vezes por partida. Vitor Hugo, com 64, aparece em segundo. Outros membros da linha defensiva, Zé Roberto (34) e Jean (33), completam o ranking dos quatro primeiros.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos