Pottker decide, Ponte bate Santos e sai em vantagem nas quartas do Paulista

Do UOL, em Santos (SP)

A Ponte Preta mostrou na tarde deste sábado (1) o porquê de não ter aceitado a proposta do Santos de jogar as duas partidas das quartas de final no Pacaembu. Empurrado pela torcida que encheu o Moisés Lucarelli, o time campineiro venceu o primeiro duelo por 1 a 0, com gol do artilheiro Pottker, e agora leva vantagem para a segunda partida.

Com o resultado conquistado em Campinas, a Ponte Preta agora pode empatar no jogo de volta, no Pacaembu, dia 10 de abril, uma segunda-feira, para garantir vaga nas semifinais. Já o Santos precisa vencer o duelo por um gol de diferença para levar a decisão para os pênaltis.

O Santos terá agora a semana livre para trabalhar visando o duelo de volta, já que não tem compromisso no meio da semana. A Ponte Preta, por sua vez, entra em campo pela Copa Sul-Americana: na quarta-feira (5), encara o Gimnasia La Plata, da Argentina, no Moisés Lucarelli.

O melhor: Clayson

Deu bastante trabalho à defesa do Santos e foi decisivo no único gol da partida, com uma linda assistência para Nino cruzar e Pottker marcar.

O pior: David Braz

Abusou dos passes errados no setor defensivo ou no meio-campo. Em um deles, deu à Ponte Preta o ataque que resultou em seu primeiro gol.

Ponte aproveita falha dupla de David Braz e abre o placar

Alê Cabral/Agif
A Ponte Preta inaugurou o placar depois de um lance em que David Braz errou duas vezes. Primeiro, ele forçou um passe rasteiro, longo, pelo meio e deu a bola de graça para o time da casa. Na sequência, não conseguiu acompanhar Nino Paraíba, que recebeu belo lançamento de Clayson e cruzou para o meio para Pottker marcar mais um no Paulista – o oitavo dele.

Ponte começa melhor. Santos reage e Aranha aparece

Marcar forte e sair rápido para o ataque. Assim Gilson Kleina definiu a estratégia da Ponte Preta para a partida. E foi assim mesmo a equipe se portou a partir do apito inicial. Apesar de ficar menos com a bola que o Santos, o time campineiro foi mais agressivo, chegando com velocidade ao gol de Vanderlei assim que roubava alguma bola. Foi assim inclusive no lance do primeiro gol. Depois, porém, o Santos acordou e exigiu duas grandes defesas de Aranha.

Anular Renato: Estratégia da Ponte Preta dá certo

"Contra o Palmeiras fizemos isso [não deixar o adversário jogar] muito bem. Não deixamos o Felipe Melo jogar. É a mesma coisa com o Renato, que é um jogador que comanda o time inteiro". A frase de Pottker na saída do primeiro tempo resume o que foi o jogo. A Ponte Preta tinha como objetivo anular o meio-campo santista, especialmente Renato, principal responsável por iniciar as jogadas do Santos. E deu certo, especialmente no primeiro tempo.

Dorival tenta, mas Santos não se encontra no Moisés

O técnico Dorival Júnior bem que tentou. Trocou os atacantes de posição, colocou Copete, depois Longuine na vaga de Renato, deixando o time mais ofensivo, mas o Santos não conseguiu se encontrar em campo. Já a Ponte Preta, bem armada, conseguiu dominar o time da Vila na maior parte do jogo. Ficou bem perto de fazer dois.

Ponte Preta perde peça-chave para o jogo de volta

A Ponte Preta perdeu um de seus principais jogadores para o duelo de volta das quartas de final. Após uma entrada sem bola no meio-campo, no começo do segundo tempo, Fernando Bob recebeu o cartão amarelo, o terceiro dele. Desta forma, ele só volta a jogar pelo time campineiro neste Paulistão caso a Ponte Preta avance para as semifinais.

Reestreia na Ponte Preta, após quase dois anos

"Olelê, olalá, o Cajá vem aí e o bicho vai pegar!". Assim a torcida cantou quando Renato Cajá foi a campo aos 12min do segundo tempo. Ele não jogava pela Ponte Preta desde julho de 2015, em jogo contra o Atlético-MG. E por pouco ele não reestreou já com uma assistência para um gol de Pottker que só não saiu porque Vanderlei fez milagre.

Vanderlei usa até a cabeça em duas defesas seguidas

O goleiro Vanderlei proporcionou uma defesa incrível – e pouco comum – no segundo tempo. Pottker recebeu cruzamento de Renato Cajá e cabeceou para ótima defesa do goleiro, que acabou dando rebote para o próprio camisa 9. Da pequena área, ele encheu o pé para estufar as redes, mas Vanderlei usou o rosto para, no susto, fazer um milagre no Moisés Lucarelli. Em seguida, precisou até de atendimento, mas seguiu no jogo.

PONTE PRETA 1 X 0 SANTOS 

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP) 
Data: 01/04/17 (sábado)
Árbitro: Salim Fende Chavez 
Auxiliares: Miguel Cataneio Ribeiro da Costa e Bruno Salgado Rizo 
Público/ Renda: 10.646 pagantes/ R$227.280,00 
Cartões amarelos : Jadson e Fernando Bob (Ponte Preta), Thiago Maia (Santos) 
Gol: Pottker, aos 20min do primeiro tempo

PONTE PRETA
Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Yago e Reynaldo; Fernando Bob, Elton, Jadon (Renato Cajá) e Clayson, Lucca (Wendel) e Willian Pottker (Lins)
Técnico: Gilson Kleina 

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato (Rafael Longuine), Thiago Maia e Lucas Lima; Bruno Henrique, Vitor Bueno (Copete) e Ricardo Oliveira (Kayke)
Técnico: Dorival Júnior

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos