No vestiário, presidente do Santos cobra mais dedicação e bola na rede

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Divulgação/Santos FC

    Mandatário está insatisfeito com a pontaria dos atletas do Santos na temporada

    Mandatário está insatisfeito com a pontaria dos atletas do Santos na temporada

Após a eliminação precoce do Santos no Campeonato Paulista, diante da Ponte Preta, o presidente Modesto Roma bancou a permanência do técnico Dorival Júnior e disparou contra a arbitragem publicamente. No entanto, isso não quer dizer que o mandatário passou a mão na cabeça do elenco no vestiário.

O UOL Esporte apurou que o dirigente repetiu o discurso da arbitragem no vestiário, mas também cobrou os jogadores. Modesto Roma pediu mais dedicação aos atletas e, inclusive, citou a falta de gols na partida. O mandatário pediu mais eficiência dos jogadores nas finalizações. 

O Santos dominou a Ponte Preta no Pacaembu, mas não conseguiu marcar os gols que garantiriam a classificação santista para a semifinal no tempo normal de jogo. Após vencer por 1 a 0 e igualar o resultado da Ponte no primeiro jogo, o alvinegro praiano foi derrotado nos pênaltis.

Em relação a Dorival Júnior, o presidente santista segura a pressão de outros dirigentes do clube. Há quem diga no clube paulista que o prazo do treinador foi estendido até o duelo contra o Santa Fe, na Colômbia, na próxima quarta-feira, válido pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América. O duelo define a liderança do grupo. 

O mandatário discorda de toda a cúpula santista em relação a permanência de Dorival Júnior, mas sabe que novas derrotas expressivas podem deixar a situação insustentável na Vila Belmiro.

Após a eliminação contra a Ponte, Modesto Roma se irritou com perguntas sobre uma possível demissão de Dorival Júnior.

"Não sei, se ele tropeçar aqui nesse degrau ele pode cair", disse Modesto. Ao ser perguntado novamente, o presidente reagiu: "Ah, não brinca, p... É um trabalho sério, não é um trabalho que um pênalti define. Estamos falando de um planejamento sério, não de brincadeira. É muito mais importantes perguntar se o departamento de arbitragem da federação cai, isso sim devia cair", disse Modesto.

"Dorival não vai ser dispensado nem nada disso. Não é questão de plano ou não plano. Essa diretoria não é frouxa, mas nós temos como treinador de futebol, uma seriedade no trato, que começamos há quase dois anos e vamos continuar. Não se faz um grande time com um técnico pingue-pongue, e a gente precisa parar com essa história de que não se classificou que quem paga é o técnico", concluiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos