Pottker ignora vitória sobre o Palmeiras na 1ª fase: "totalmente diferente"

Do UOL, em Santos (SP)

  • DENNY CESARE/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

    Pottker comemora gol da Ponte Preta contra o Palmeiras, pela 1ª fase

    Pottker comemora gol da Ponte Preta contra o Palmeiras, pela 1ª fase

Dono da melhor campanha da primeira fase do Campeonato Paulista, o Palmeiras acumulou oito vitórias e três derrotas ao longo das 11 rodadas. Apenas Ituano, Corinthians e Ponte Preta foram capazes de lhe superar, algo que, para William Pottker, vice-artilheiro da competição estadual, deve ser ignorado pela equipe campineira, que inicia deste domingo (16) o confronto de semifinal contra o time comandado pelo velho conhecido Eduardo Baptista.

"O jogo que ganhamos do Palmeiras antes foi totalmente diferente, era outro clima. Agora é decisão e eles inclusive têm um time de atletas acostumados a esse tipo de jogo, enquanto nós temos muitos jovens que nunca passaram por isso, mas nós vamos em busca do melhor. A Ponte pode não ter status de time grande pra muita gente, mas temos pressão de time grande e  vamos nos dedicar ao máximo e buscar o melhor pra gente e pro clube", disse Pottker.

O segredo, segundo o atacante, autor de oito gols no Estadual, é aproveitar as chances que aparecerem e, quem sabe, deixar o Palmeiras em situação complicada já com o resultado da primeira partida, marcada para este domingo (16), no Moisés Lucarelli, às 16h (de Brasília).

"Temos que seguir fortes, com mesmo espírito. Mesmo o adversário sendo apontado como superior tecnicamente, ele pode não estar bem naquele dia e podemos matar o jogo no primeiro confronto. Se colocarmos em campo todo nosso  coração e a garra, com  o apoio, quem sabe podemos ultrapassar os obstáculos e vencer. Sonhar não paga imposto, então vamos sonhar e fazer nossa parte", acrescentou o atacante.

"Escolhemos viver isso, temos que estar preparados pra fazer o melhor. Pra isso temos de estar muito focados, dedicados, marca , correr, dar tudo o que temos", completou.

Para esta partida, o técnico Gilson Kleina ainda não sabe se poderá contar com Nino Paraíba e Renato Cajá. Enquanto o lateral tem um edema no adutor da coxa esquerda, o meia está com um edema no músculo retofemural da coxa esquerda. De acordo com o clube, porém, ambos têm possibilidades de estar em campo – dependendo da recuperação nos próximos dias.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos