Ceni usou título e Corinthians para levantar SP após derrota para Cruzeiro

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

  • EITAN ABRAMOVICH/AFP

    Rogério Ceni, de blazer, comanda o São Paulo contra o Defensa y Justicia

    Rogério Ceni, de blazer, comanda o São Paulo contra o Defensa y Justicia

A derrota em casa para o Cruzeiro exigiu uma reação rápida de Rogério Ceni. Minutos antes de encontrar a imprensa, o treinador do São Paulo conversou com os atletas em um papo sem tom de bronca. Preocupado com a sequência que o time tem pela frente, o técnico tentou levantar o moral dos jogadores, falou na possibilidade de conquista de título e tratou de mudar o foco para o clássico de domingo, diante do Corinthians, pelo Paulistão.

O UOL Esporte apurou que Ceni reuniu o grupo ainda no vestiário do Morumbi, após o 2 a 0 diante do Cruzeiro, e imediatamente pediu que os jogadores levantassem a cabeça nos treinamentos da sexta e sábado. "Estamos a quatro jogos de sermos campeões", foi uma das frases de Ceni. O ex-goleiro lembrou que o clube vem de uma fase longa sem títulos (desde a conquista da Sul-Americana, em 2012),  e ressaltou a importância que uma conquista do Campeonato Paulista pode ter nesta temporada, com um elenco em formação e uma nova filosofia de jogo

O treinador também lembrou a importância do rival em questão. Na visão de Ceni, uma vitória no clássico contra o Corinthians traria força para uma tentativa de revertar o resultado adverso diante do próprio Cruzeiro, na quarta-feira, em Belo Horizonte.

Discurso nas entrevistas é coerente com o tom da conversa

Os discursos nas entrevistas na madrugada e na tarde desta sexta foram coerentes com o tom das palavras de Rogério Ceni. O próprio treinador não fez grandes críticas ao time em sua entrevista coletiva, reforçou o papel das bolas paradas ao decidir o jogo e até ressaltou a iniciativa tricolor, que com 65% de posse de bola finalizou mais a gol e não conseguiu balançar as redes.

Rodrigo Caio também adotou discurso otimista, e, assim como Ceni, falou em atuar de forma ofensiva e agressiva diante do Corinthians. "O Corinthians marca muito forte, joga no contra-ataque. Com a gente, jogaram por uma bola, fizeram o gol de empate em uma infelicidade. Temos de tocar bola, procurar espaço e na hora que tiver oportunidade finalizar bem e fazer o gol. Se fizermos o primeiro, o jogo muda totalmente", disse o zagueiro, que ainda disse que o rival mereceu perder a partida de quarta-feira, diante do Internacional (empate em 1 a 1).

Se o lado psicológico não for suficiente para conduzir o São Paulo a um bom resultado, Ceni pode ter um importante reforço diante do Corinthians: Cueva treinou normalmente e está à disposição. Se depender do próprio peruano, ele será titular. "Vou jogar", foram suas rápidas palavras ao deixar o treinamento desta sexta.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos