Pottker reclama de pênalti não marcado: "Era para ter sido mais"

Do UOL, em São Paulo

Três a zero no primeiro tempo e uma grande dose de polêmica. Foi essa a tônica da vitória da Ponte Preta sobre o Palmeiras neste domingo, no Moisés Lucarelli, no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Paulista. Para William Pottker, autor de um dos gols da Macaca, a equipe ainda foi prejudicada pela arbitragem.

"É complicado, era para ter sido mais, sem querer menosprezar o Palmeiras. Não é porque está 3 a 0 que não vai dar um pênalti daquele. Sabemos que o árbitro tem três segundos para tomar a decisão, mas é complicado", disse o atacante ao Sportv na saída de campo.

O lance mencionado ocorreu aos 39 minutos do segundo tempo, quando a Ponte já ganhava por 3 a 0 com gols de Lucca, Jefferson e o próprio Pottker. Na ocasião, o atacante venceu a disputa com Zé Roberto e levou uma tesoura do goleiro Fernando Prass. O árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza não deu pênalti e indicou o escanteio assinalado pelo auxiliar.

Apesar da vitória maiúscula, o elenco não quer cair na armadilha do favoritismo para o jogo de volta, a ser disputado no Allianz Parque. "A gente sabe que está lidando com uma grande equipe da América do Sul. Está louco? Contra uma equipe dessa, não existe pé na final. O maior exemplo disso é o Barcelona [contra o PSG na Liga dos Campeões]. A gente tem que entrar focado", afirmou Pottker.

Prass se defende de lance

O goleiro Fernando Prass tratou também de se manifestar sobre o lance alvo da reclamação de William Pottker. O camisa 1 palmeirense, ainda no gramado, expôs a própria visão do lance e negou qualquer ação faltosa.

O Pottker nem reclamou. Peguei a bola. O choque foi de futebol, normal. O contato sempre irá haver. Peguei a bola e bati o pé nele, é obvio, mas o choque foi normal de jogo", disse ao Sportv.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos