Como uma goleada sobre o São Paulo mudou a vida de Romero no Corinthians

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Rubens Cavallari/Folhapress

    Romero é titular absoluto do time treinado por Fábio Carille

    Romero é titular absoluto do time treinado por Fábio Carille

"Esse jogo me ajudou bastante. Jogar um clássico como joguei contra o São Paulo dá confiança". O próprio Romero sabe a importância da goleada do Corinthians por 6 a 1, em novembro de 2015, na reta final do Brasileirão, para sua trajetória no clube. Hoje artilheiro da Arena e titular do clube, o paraguaio voltará a enfrentar o São Paulo no jogo válido pela ida da semifinal do Campeonato Paulista, neste domingo, às 19h, no Morumbi. 

Romero disse a frase acima em janeiro de 2016, já em meio a uma guinada pessoal. E o paraguaio está certo ao encarar o confronto dessa forma: o clássico foi disputado exatamente na metade da trajetória dele no clube alvinegro, e a diferença de desempenho nos dois períodos é abissal. Nos primeiros 16 meses no Corinthians, o atacante marcou três gols em 40 jogos oficiais. Depois, foi às redes 17 vezes em 72 duelos com a camisa corintiana.

O jogador paraguaio estreou no Corinthians em julho de 2014, depois de ser contratado do Cerro Porteño (a intenção corintiana também era trazer o seu irmão, Óscar, que hoje defende o Alavés-ESP). Sob o comando de Mano Menezes, Romero atuou 26 vezes e marcou um gol. No ano seguinte, já com Tite, as chances sumiram - foram apenas 17 jogos na temporada.

No clássico de novembro de 2015, disputado na Arena Corinthians, Romero só entrou em campo porque uma rodada antes.o time havia sido campeão brasileiro. Na ressaca da conquista, Tite escalou reservas para o clássico que não valia nada e se surpreendeu. O paraguaio marcou o segundo gol corintiano ainda no primeiro tempo, que terminou 3 a 0 para o Corinthians. Na comemoração, o atacante fez menção ao hexa brasileiro conquistado pelo time, levando os torcedores à loucura na Arena.

Na etapa final, Romero fez o quinto corintiano sobre o rival. No lance, o atacante recebeu livre, invadiu a área e contou com um desvio de Hudson para marcar. O camisa 11 ainda sofreu o pênalti convertido por Cristian - na jogada, aplicou um drible em Reinaldo na linha de fundo.

Da reserva à artilharia da Arena

A atuação mudou o status do jogador, que falou bastante sobre a goleada durante a disputa da Florida Cup, no começo de 2016, Romero. Confiante, o atacante fez questão de dizer que recusou o Rubin Kazan, da Rússia, no mês anterior, para tentar a sorte no Corinthians.

"Ainda não demonstrei aqui meu futebol, estou com muita vontade de fazer o melhor no Corinthians. Tenho vontade de jogar, de me consolidar como titular. A proposta que chegou da Rússia era boa, mas falando com minha família, com meus irmãos, falei para ficar no Corinthians. Ainda não estou contente com meu futebol. Posso fazer muito mais que já fiz e que esse ano eu possa jogar", afirmou na ocasião.

As chances não vieram rápido, e Romero seguiu sem se firmar como titular mesmo marcando gols com frequência em um time que, sob o comando de Tite, vivia uma reconstrução. Dias após a saída do treinador para a seleção, o paraguaio reclamou.

"Eu estava um pouco triste porque não estava jogando. Sou o artilheiro do time, é f... você ficar fora, não jogando, mas acontece. Falei que se viesse proposta iria conversar com minha família e empresário, mas agora, com a troca do treinador, ele confia no meu trabalho, valoriza meu trabalho, fico feliz por isso", frisou Romero em junho do ano passado, lembrando a entrada de Cristóvão Borges no comando alvinegro.

Titular com o novo chefe, e depois com Oswaldo de Oliveira, Romero fechou a temporada 2016 como artilheiro do Corinthians com 13 gols em partidas oficiais, três a mais que o meia Rodriguinho. De quebra, em outubro, o paraguaio tornou-se o maior goleador da Arena Corinthians ultrapassando Guerrero, que somava 15 gols - Romero hoje tem 17 gols no estádio.

Hoje, ainda que não seja uma unanimidade com a torcida, Romero é figura constante no ataque de Fábio Carille. Na última quarta, por exemplo, foi dele o gol do Corinthians no empate por 1 a 1 com o Inter, em Porto Alegre, pelo jogo de ida do mata-mata na Copa do Brasil. Neste domingo, ele é um dos principais responsáveis por tentar furar a defesa são-paulina no clássico que vale vaga na final do Estadual. 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO X CORINTHIANS

Data: 16 de abril de 2017, domingo
Horário: 19h (de Brasília)
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Competição: Campeonato Paulista (partida de ida da semifinal)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira
Auxiliares: Danilo Simon Manis e Miguel Ribeiro da Costa

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Buffarini, Rodrigo Caio, Maicon e Júnior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes, Cícero, Cueva e Luiz Araújo; Lucas Pratto. Técnico: Rogério Ceni

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Maycon, Jadson, Rodriguinho e Romero; Jô. Técnico: Fábio Carille
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos