Palmeiras se apega a vitórias da Libertadores para crer em virada em SP

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Cesar Greco/Ag. Palmeiras

O Palmeiras necessita de uma goleada por quatro gols de diferença, neste sábado, para reverter o confronto diante da Ponte Preta e avançar à final do Campeonato Paulista. Para virar a situação complicada desde o revés por 3 a 0 do último final de semana, a equipe se apega ao próprio passado: as duas vitórias em casa, pela Libertadores, são o exemplo incorporado pelo time.

"Esse ano mostrou que o torcedor pode acreditar até o final pelos jogos da Libertadores. Meu lema é nunca desistir, e o lema do Palmeiras também vai por este caminho. Vamos até o apito final, nós jogadores vamos fazer totalmente diferente ao do primeiro jogo contra a Ponte Preta", afirmou o zagueiro Edu Dracena, ainda incomodado com a atuação em Campinas.

"Esse jogo tem que estar na cabeça para ver como não devemos entrar em um jogo decisivo. A gente tem que entrar totalmente diferente ao que a gente entrou; desde o apito inicial até o apito final. Não pode tomar 3 a 0 com 30min de jogo para que não venha servir de lição depois", disse.

As lembranças da partida de Campinas se equiparam ao falar sobre os jogos pela competição sul-americana. Diante de Jorge Wilstermann-BOL e Peñarol-URU, o clube palestrino venceu com gols anotados praticamente nos últimos lances – Yerry Mina, diante dos bolivianos, e Fabiano, contra os uruguaios, saíram como os heróis.

Em compensação, o revés no Estádio Moisés Lucarelli alertou o elenco do Palmeiras, que retornou aos trabalhos após dois dias de folga. Agora, em uma semana decisiva, os veteranos cobram uma postura diferente dos jogadores na partida de volta, agendada para sábado, às 19h (de Brasília), no Allianz Parque.

Edu Dracena, um dos líderes do elenco, quer controlar a ansiedade (própria e dos companheiros para o final de semana.

"Para fazer o terceiro, tem que fazer o primeiro. Temos jogadores experientes que passaram por momentos difíceis, e sabem que o jogo é jogado em 90min. Temos que entrar focados e concentrados. Faltou um pouco para nós no jogo de Campinas. Vamos ter 11 guerreiros em campo e 23 no jogo, fora os milhões palmeirenses vibrando", discursou Edu, sem expor qual postura a equipe adotará.

"A receita é ganhar, independentemente de ser no início ou no final. O Palmeiras vai entrar focado e concentrado para jogar os 90min. O jogo pode ser decidido no último minuto, porque o torcedor ficou até o último minuto e dez minutos depois cantando o hino do Palmeiras", relembrou ao citar novamente os jogos contra Jorge Wilstermann e Peñarol.

"Isso passa para nós jogadores; sair de casa e vários torcedores deram apoio e acreditando que o time possa reverter e vai reverter esta situação", disse o confiante camisa 3 da equipe de Eduardo Baptista.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos