Tabu, torcida e história: armas do Palmeiras para bater a Ponte no Allianz

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

    Palmeiras quer voltar a comemorar jogando no Allianz

    Palmeiras quer voltar a comemorar jogando no Allianz

O Palmeiras entra no Allianz Parque neste sábado por uma virada histórica. Depois de perder por 3 a 0 no jogo de ida, o time precisa vencer a Ponte Preta por quatro gols de diferença para avançar à final do Estadual e brigar pelo título. A taça não é conquistada desde 2008, em uma final justamente contra o time de Campinas.

A vaga serviria como presente simbólico para o estádio, que completou 100 anos na última sexta-feira. Inspirados no primeiro jogo e na primeira vitória em casa (por 5 a 1 em cima do Internacional-SP), os jogadores receberão um apoio incondicional dos quase 40 mil torcedores que lotarão as arquibancadas.

Além da campanha nas redes sociais, a torcida foi à porta da Academia de Futebol na última sexta-feira para mostrar apoio ao time. A Mancha Verde, principal organizada, se reuniu com alguns atletas e entregou uma carta de apoio. 

"A arena se transformou em um templo. A energia do Allianz é algo incomparável. Já fui adversário e agora estou dentro e a atmosfera é muito importante. Sei que a estreia, há 100 anos, foi com um placar elástico e espero dar esse presente para o estádio", disse o treinador.

"Que bom que a decisão é em casa, que os torcedores esgotaram os ingressos. Eles poderiam estar passeando, viajando, mas preferiram estar aqui, dar apoio ao time e aos atletas. Vai tudo conspirar ao nosso favor", completou.

Além de ser muito rentável financeiramente, o Allianz Parque tem dado bons resultados para o Palmeiras dentro de campo. O time tem um tabu a seu favor, atingindo a marca atual de 20 jogos sem perder atuando em seus domínios. 

Para conseguir o feito, Eduardo Baptista optou pelo mistério total durante a semana. Nenhum treino do Palmeiras foi aberto para a presença da imprensa. Ele admitiu que poderá fazer mudanças, mas avisou que elas serão pontuais. 

Do outro lado, comandados pelo ex-técnico do Palmeiras Gilson Kleina, Pottker e seus companheiros tentam colocar a equipe de Campinas em uma final para buscar um título histórico.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X PONTE PRETA

Data: 22 de abril (sábado)
Horário: 19h (de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo
Árbitro: Raphael Claus

PALMEIRAS: Prass; Jean, Mina, Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo; Tchê Tchê, Guerra, Michel Bastos e Dudu; Borja
Técnico: Eduardo Baptista

PONTE PRETA: Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Yago e Artur (Jeferson); Fernando Bob, Elton e Jádson; Clayson, Lucca e Pottker
Técnico: Gilson Kleina

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos