Ceni sai em defesa de Rodrigo Caio e Maicon após polêmica com fair play

Do UOL, em São Paulo

O técnico Rogério Ceni saiu em defesa da dupla de zaga do São Paulo após a eliminação para o Corinthians no Campeonato Paulista. O treinador minimizou a polêmica de fair play envolvendo Rodrigo Caio e também aproveitou para defender Maicon.

Na partida de ida da semifinal, vencida pelo clube do Parque São Jorge por 2 a 0, Jô recebeu cartão amarelo por ter pisado em Renan Ribeiro, goleiro do time tricolor. Porém, Rodrigo Caio assumiu a culpa no lance, o que fez o árbitro Luiz Flávio de Oliveira cancelar o cartão, que seria o terceiro do atacante corintiano e renderia suspensão para o duelo deste domingo.

Mais tarde, Maicon afirmou que era "melhor a mãe deles (corintianos) chorando do que a minha" quando questionado sobre o comportamento de jogadores. Neste domingo, após o empate por 1 a 1 na Arena, foi a vez de Rogério Ceni se manifestar.

"Rodrigo e o Maicon são acima da média. Não temos que crucificar, não aconteceu nada demais. Ele (Rodrigo) falou para o árbitro e temos que parabenizá-lo. Tem que saber conviver com diferente tipo de opinião", disse.

O ex-goleiro tinha visto o lance de uma outra forma. "Na minha concepção, o Rodrigo Caio só pisa no Renan porque o Jô o empurrou. O Rodrigo achou que não. Ponto final. O cartão amarelo não muda o caráter dele. Ele continua sendo o mesmo jogador para mim. Assim como, no dia seguinte, tivemos o Maicon dando a entrevista. Estamos falando de um amarelo dentro de um jogo. Não tem que falar disso como se fosse um crime. Trataram o depoimento do Maicon como se fosse um crime hediondo", afirmou.

 

Tanto no jogo no Morumbi quanto na partida na Arena Corinthians, Jô balançou as redes em posição duvidosa, mas Rogério evitou polêmica com a arbitragem. "Foram dois gols em posição irregular, mas nós também já fizemos gols irregulares, como o Gilberto (contra o Cruzeiro, na última quarta-feira) também estava à frente. A arbitragem não é o motivo da nossa desclassificação hoje", falou.

"Como o jogador que fez o gol pode saber que estava impedido ou não? Então, isso não é falta de fair play. É um erro de arbitragem que também está sujeito a acontecer. O que é do jogo é do jogo. É um jogo pegado, campo rápido, mas eu não vi em nenhum momento falta de fair play para com o São Paulo."

Veja outros assuntos comentados por Rogério Ceni na entrevista coletiva:

Balanço no São Paulo

"Tomamos muitos gols de bola parada nesses quatro meses e meio. É um número bastante alto para uma equipe. Temos que trabalhar as bolas paradas para repensar o planejamento para o Brasileiro. Eu acho que nós ganhamos corpo, é um time mais competitivo. Acho que fico feliz com os jogadores. Trabalharam bem, duro. Cruzamos o quádruplo de vezes na área. Depois que ficamos com dez, tivemos mais posse de bola. Equipe do Corinthians se defende muito bem".

"O time vem sendo menos irregular nas últimas rodadas. Baixamos a média de gols feitos e diminuímos muito a média de gols sofridos por jogos. Passamos quatro jogos sem sofrer gols. Isso tudo tem um custo. Para defender mais, tem que abrir mão de algumas peças ofensivas. De positivo, o que eu vejo é que é um time com vocação ofensiva. Foi construído para ganhar jogos e agredir adversários."

Futuro

"Perdemos nosso principal armador, que é o Cueva, em sete jogos seguidos. Chegar na semifinal é o mínimo que um grande clube pode fazer. Poderíamos ter ido além e disputar a final. Talvez esse elenco fique um pouco mais enxuto para o Brasileiro, acho que agora vamos parar, repensar e traçar uma estratégia para o Brasileiro. Minha estratégia é fazer com que esse time chegue na Libertadores de 2018."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos