Telefonema de Tite e silêncio corintiano: como foi a semana de Rodrigo Caio

Dassler Marques, Diego Salgado e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Vorley/AGIF

    Rodrigo Caio foi o centro das atenções nesta semana no São Paulo

    Rodrigo Caio foi o centro das atenções nesta semana no São Paulo

A semana do mata-mata da semifinal do Campeonato Paulista foi tumultuada para Rodrigo Caio. O zagueiro do São Paulo virou o destaque do noticiário após o primeiro clássico com o Corinthians. Ao avisar o árbitro de que havia pisado no goleiro Renan Ribeiro e, desta maneira, evitar que o adversário Jô recebesse o cartão amarelo (o que resultaria em suspensão automática ao corintiano do confronto deste domingo), o são-paulino passou a ser um exemplo do fair play. No entanto, o jogador não recebeu o apoio esperado dentro do próprio elenco tricolor e da equipe rival.

Publicamente, o atacante alvinegro elogiou Rodrigo Caio e chegou a dizer que ele teve uma atitude que serviria de exemplo para as crianças. O técnico Fábio Carille também prometeu dar um abraço no defensor antes da segunda e decisiva partida da série, neste domingo, às 16h, na Arena Corinthians. Segundo apurou a reportagem do UOL Esporte, porém, os jogadores do Corinthians não mandaram uma mensagem particular de apoio ou procurou o são-paulino nos últimos dias. Jogadores de outros clubes também elogiaram a postura de Rodrigo Caio, mas parte deles reconheceram que "dificilmente" agiriam de tal maneira.

No São Paulo, em um primeiro momento, a postura de Rodrigo Caio não foi bem recebida. O zagueiro, inclusive, recebeu a bronca do técnico Rogério Ceni. Por isso, não é de se estranhar que o jogador tenha ficado chateado com a postura de parte do elenco e do treinador. Mas, assim como aconteceu com o Corinthians, as manifestações públicas foram positivas. Rogério Ceni chamou o pupilo de "gentleman" (cavalheiro) em entrevista coletiva e o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, durante o seu discurso de posse, classificou o gesto como o de um jogador diferenciado.

O técnico da seleção brasileira, por sua vez, fez questão de ligar para o beque para elogiá-lo e destacar tal postura. Rodrigo Caio já foi convocado por Tite para a integrar a seleção brasileira e foi titular da equipe campeã olímpica em 2016.

E as manifestações de apoio não pararam por aí. O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, agradeceu o são-paulino e o Sindicato dos Atletas se colocou à disposição para ajudá-lo. Os familiares e o próprio jogador também receberam centenas de mensagens particulares de incentivo de amigos, de ex-companheiros e até de políticos.

Falha e tranquilidade

De acordo com a apuração da reportagem, Rodrigo Caio jamais imaginou que o seu gesto causasse tanta polêmica. Pessoas próximas ao jogador dizem que ele ficou assustado com a repercussão do caso e não gostaria de ser visto como uma exceção no futebol ou como um porta-bandeira do fair play.

No meio desse turbilhão, Rodrigo Caio ainda esteve em campo contra o Cruzeiro, na quarta-feira, em Belo Horizonte, para defender o São Paulo no mata-mata da Copa do Brasil. Como o Tricolor havia perdido o primeiro duelo da série por 2 a 0, precisava da vitória fora de casa. A equipe paulista ganhou por 2 a 1, sendo que Rodrigo Caio falhou e cometeu uma falta no lance do gol mineiro.

De volta ao CT da Barra Funda, o clima era ameno apesar da eliminação. O jogador foi acolhido pelos companheiros e pela comissão técnica. Aos poucos, os integrantes do elenco tricolor tentam deixar a polêmica do clássico com o Corinthians no passado.

Reencontro

Rodrigo Caio vai rever Jô neste domingo, no segundo jogo da semifinal. Curiosamente, o corintiano não poderia atuar caso tivesse recebido o cartão amarelo no primeiro duelo - o atacante teria de cumprir suspensão por conta de ser a terceira advertência dele na competição.

A tarefa do São Paulo é complicada. O time de Rodrigo Caio jamais venceu o adversário em seu estádio e luta contra um tabu de 17 anos em mata-mata contra o arquirrival. Para complicar ainda mais, como o Corinthians ganhou o primeiro jogo por 2 a 0, a equipe de Jô e Carille vai à final mesmo se perder por um gol de diferença. Caso o São Paulo derrote o rival fora de casa por qualquer placar com dois gols de diferença, a decisão será nos pênaltis.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS X SÃO PAULO

Data: 23 de abril de 2017 (domingo)
Horário: 16h (Brasília)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Competição: Campeonato Paulista (segunda partida da semifinal)
Transmissão na TV: Globo e Premiere FC
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro e Herman Brumel Vani

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Arana; Gabriel e Maycon; Jadson, Rodriguinho e Romero; Jô. Técnico: Fábio Carille.

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Wesley, Maicon, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes e Cícero; Cueva, Pratto e Luiz Araújo (Gilberto). Técnico: Rogério Ceni.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos