Após quase 20 anos, Gilson Kleina chega à primeira grande final na carreira

Do UOL, em Santos (SP)

  • Pontepress/RodrigoCeregatti

    Gilson Kleina tem a chance de deixar seu nome ainda mais marcado na história da Ponte

    Gilson Kleina tem a chance de deixar seu nome ainda mais marcado na história da Ponte

Finalista do Campeonato Paulista 2017 com a Ponte Preta, Gilson Kleina vive hoje um dos momentos mais especiais de sua vida profissional. O técnico, que iniciou sua trajetória como assistente (de Abel Braga, no Coritiba) em 1999 e dois anos depois teve a sua primeira chance como treinador, no Villa Nova-MG, tem pela frente, diante do Corinthians, a sua primeira grande decisão de campeonato da carreira – e a possibilidade da conquista de um título que marcaria para sempreo seu nome na história da Macaca.

Gilson Kleina já esteve à frente do Palmeiras e foi campeão brasileiro da Série B em 2013. Só que em um campeonato de pontos corridos, sem finais, como acontece agora. Até então, a maior decisão em que esteve presente foi em 2006, pelo Campeonato Alagoano. Técnico do Coruripe, conseguiu levar o time ao primeiro título estadual da história após uma emocionante vitória sobre o CSA (maior campeão de Alagoas), nos pênaltis.

Com a mesma Ponte Preta, no ano de 2012, em sua primeira passagem pelo clube campineiro, Gilson Kleina chegou bem perto da final, mas viu a equipe alvinegra ser derrotada pelo arquirrival Guarani na semifinal única disputada no Brinco de Ouro da Princesa, por 3 a 1. Nas quartas, havia eliminado justamente o Corinthians, em duelo disputado no Pacaembu.

Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Voltando ainda mais para o começo da carreira de Gilson Kleina, vale destacar também a campanha feita no Campeonato Paranaense de 2002, pelo Iraty. O time foi campeão, mas com uma ressalva: os quatro primeiros colocados da edição de 2001 não participaram do Estadual de 2002 porque estavam disputando a Copa Sul-Minas de 2002. Com isso, foi um Paranaense sem os principais times: Atlético-PR, Coritiba e Paraná, além do Malutrom.

Portanto, os próximos domingos (30 de abril e 7 de maio) prometem ser especiais não apenas na história da Ponte Preta, mas também na de Gilson Kleina. Com os holofotes todos voltados para os dois confrontos entre Ponte e Corinthians, o técnico pode, principalmente em caso de vitória, voltar a fazer parte do alto escalão dos treinadores brasileiros, mais até que em 2012 e 2013, quando foi destaque neste mesmo clube e chamou a atenção do Palmeiras.

Altos e baixos na primeira passagem

Ídolo da torcida alvinegra, Gilson Kleina acumula mais bons que maus momentos na Ponte Preta. O técnico ganhou moral com a torcida ao recusar uma proposta do Fluminense em março de 2011 e permanecer na Macaca. No mesmo ano, levou a Ponte Preta de volta à Série A após seis anos , e em 2012 chegou à já citada semifinal do Campeonato Paulista.

O momento de maior atrito aconteceu justamente em setembro de 2012, quando foi chamado de 'traidor' e 'mercenário' por alguns aficionados por deixar o comando da Ponte Preta no meio do Campeonato Brasileiro e acertar com o Palmeiras. Em março deste ano, porém, Kleina 'voltou para casa', como ele mesmo disse, e logo em seu primeiro campeonato já ajuda a colocar a equipe em um de seus maiores momentos da história.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos