Kleina lista erros da Ponte e fala em "jogar pela dignidade" em Itaquera

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

A Ponte Preta não conseguiu reproduzir neste domingo (30) os valores que a levaram a disputar o título do Campeonato Paulista. Após derrota para o Corinthians por 3 a 0, o técnico Gilson Kleina foi bastante transparente em sua entrevista coletiva e admitiu as falhas da equipe.

"Todo o mundo sabe que não fizemos um grande jogo hoje, e isso por dois motivos. Primeiro, o adversário sabia que nós faríamos a marcação alta e iríamos nos expor. E segundo que nossas jogadas pelos dois lados não aconteceram", explica o treinador pontepretano, garantindo que "não é uma derrota que vai nos tirar do caminho".

Faltou à Ponte profundidade e criatividade. A equipe não controlou o ritmo do confronto, como havia feito contra Santos e Palmeiras no Moisés Lucarelli, e por isso sofreu. No desenvolver da partida, a Macaca teve uma só chance, com Pottker, aos 19 do primeiro tempo — depois disso só nos acréscimos do segundo tempo, quando tudo estava mais ou menos decidido.

Kleina é realista quanto à desvantagem de três gols, mas não dá o título como perdido. "Nesta semana vamos trabalhar da mesma maneira, mas é claro que agora temos que jogar pela dignidade. Vamos lá e vamos competir para podermos ser dignos no segundo jogo", diz o treinador. "Não adianta chegar e pisar dentro do Itaquerão entregue, porque aí é pior ainda."

Para ser campeã no tempo normal, a Ponte precisa golear por quatro ou mais gols — devolver o placar leva a disputa aos pênaltis. A decisão será no domingo (07), na Arena Corinthians. "Precisamos fazer um gol de cada vez", avisa Kleina. "O jogo é jogado, e não podemos de maneira nenhuma jogar a toalha. Quando falo em dignidade, é por uma vitória. As coisas ficaram difíceis, mas temos 90 minutos para reverter."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos