Roger vê gol como prêmio a esforço defensivo de Borja no Palmeiras

Do UOL, em São Paulo (SP)

Miguel Borja passou quase três meses sem marcar pelo Palmeiras. Depois de fazer dois gols sobre o Cruzeiro em 30 de outubro do ano passado, no segundo turno do Campeonato Brasileiro, o colombiano voltou a balançar as redes na tarde deste domingo. Foi seu tento que decidiu a vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, na segunda rodada do Campeonato Paulista. E o feito deixou o técnico Roger Machado realizado.

"Para mim é muito importante porque reforça o que tenho conversado com o Borja, sobre a participação nos dois momentos do jogo. Quando jogadores do ataque participam ativamente do processo defensivo, invariavelmente eles são recompensados com chances de gols. Esses jogadores de frente contribuem para uma retomada na hora de atacar. Era importante que ele fizesse gol para confirmar o que a gente diz", explicou o treinador.

O próprio camisa 9, que falou apenas com o site oficial do clube, agora espera um recomeço em seu segundo ano no Palmeiras: "Este gol foi resultado de trabalho. Muito trabalho. Acredito que passei por uma fase de adaptação, pero, mas já há algum tempo venho mostrando nos treinos a minha qualidade. Roger e a torcida do Palmeiras podem confiar em mim. Não vou decepcioná-los. Quero voltar a ter aquela performance de 2016 que tive no Atlético Nacional".

Thiago Calil/AGIF
Borja não marcava desde 30 de outubro do ano passado, mas foi herói neste domingo

Melhorar o desempenho defensivo de Borja foi uma tarefa árdua de todos os técnico do Palmeiras no ano passado. O centroavante custava a entrar no ritmo de maração que o time apresentava em 2016. A falta de intensidade, inclusive, o deixou no banco de reservas diversas vezes. Roger deu um voto de confiança para esta temporada e, a princípio, foi recompensado.

"Ele tem como força principalmente as pequenas diagonais em velocidade, entre os dois zagueiros, para que ele consiga finalizar. O que eu desejo é que justamente com essa aproximação do Borja para a construção do jogo, a gente também possa ter ele como apoio, para que a gente ganhe espaço no campo adversário e fazer ela (bola) parar ali", exaltou o comandante alviverde.

O Palmeiras volta a campo na próxima quinta-feira, às 21h, para enfrentar o Red Bull Brasil no Allianz Parque. Com duas vitórias em dois jogos, o Verdão é líder do Grupo C com seis pontos, contra quatro do segundo colocado Novorizontino.

Análise do jogo

No primeiro tempo o adversário em muitos momentos conseguiu nos contra-atacar, pelo fato da gente insistir na bola frontal em frente à linha defensiva. Principalmente depois da parada (técnica) conseguimos corrigir esse movimento. Depois ficamos com o controle, que continuou no segundo tempo. Podendo no final, com uma formação diferente, ter encaixado uma bola a mais que definiria a partida em um placar maior.

Cansaço e controle

Tivemos quatro contra-ataques bons, mas a perna já não obedece o comando. A gente venceu sendo inteligente. Um calor muito grande. Soubemos o momento de acelerar, esse foi nosso ponto alto. Gostaria de ver a equipe entender o que o jogo pede. Muita gente tem consciência de em um jogo com esse calor, a gente conseguiu sucesso contra uma bela equipe, extremamente organizada.

Time contra o Red Bull

A gente vai ter um dia a mais de descanso. Se eu puder levar (o time) para o campo para fazer essas pequenas correções, vamos fazer. Ver quem vai estar bem e recuperado desse jogo. São três jogos em oito dias, a gente tem que prestar atenção nisso. Mas vai ser dia a dia. A decisão de repetir a escalação foi tomada pelas avaliações físicas, a gente precisa conversar com o atleta para ver como ele se sente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos