Diego Souza marca, São Paulo desencanta e vence a primeira no Paulistão

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

"Alívio" pode definir a quarta-feira do São Paulo. Depois de dois jogos e mais 83 minutos, a equipe de Dorival Júnior desencantou e marcou seus primeiros gols no Campeonato Paulista. O 2 a 0 coroou a insistência de um time que pressionou o Mirassol o tempo todo, mesmo jogando fora de casa. A partida marcou também a primeira vez que Diego Souza balançou as redes pelo Tricolor.

O camisa 9 mostrou oportunismo para aproveitar cruzamento de Militão e falha do zagueiro Jesiel para estufar o gol de Fernando Leal, que teve grande noite para conter os são-paulinos. Depois, houve tempo para Marcos Guilherme ampliar. A vitória tira parte do peso das costas da equipe do Morumbi, que havia perdido do São Bento e empatado com o Novorizontino. 

Agora, o foco está voltado para o clássico de sábado, às 17h, contra o Corinthians, no Pacaembu. O Mirassol volta a campo apenas na segunda-feira, quando visita o Santo André às 17h30, no Bruno José Daniel. 

Os melhores

As melhores ações do São Paulo na partida passaram pelos pés do capitão Petros. O volante arrancou, tocou de primeira, deu enfiadas e buscou tabelas. Em alguns lances, pecou pela falta de capricho, mas a intensidade mostrada compensou. Diego Souza, com a calma que faltava para os companheiros, também merece destaque pelo gol. Pelos lados do Mirassol, o destaque ficou para o goleiro Fernando Leal, que parou as boas descidas dos paulistanos.

Os piores

Talvez seja preciso avisar o leitor, mas Edimar esteve em campo pelo São Paulo. Embora o zagueiro improvisado seja Militão na lateral direita, quem mal passou do meio de campo foi o lateral-esquerdo. E nas raras aventuras ofensivas, o camisa 16 foi muito mal. Em uma delas, errou passe bisonho que poderia ter causado ataque letal do Mirassol. Para os donos da casa, Jesiel teve atuação para esquecer, com trapalhadas na defesa.

Bolas paradas

Assim como no jogo contra o Novorizontino, a principal arma do São Paulo para agredir o adversário foi o poder de Shaylon nas bolas paradas. O meia tem mostrado bom aproveitamento nos treinamentos e consegue passar o rendimento para as partidas até aqui. Rodrigo Caio e Diego Souza tiveram chances claras no primeiro tempo, mas mandaram por cima.

Lance polêmico

O São Paulo chegou a reclamar mais um pênalti não marcado no Paulistão. De fato, Edson Silva, ex-zagueiro do próprio Tricolor, atropelou Petros na cara do gol. O problema é que o volante ajeitou a bola com a mão no instante anterior ao choque com o defensor do Mirassol. O árbitro Vinicius Furlan flagrou a irregularidade e ainda apresentou cartão amarelo ao capitão são-paulino.

As estreias

Anderson Martins estreou pelo São Paulo nesta quarta. O zagueiro foi pouco exigido, mas mostrou firmeza - até demais. Em dividida com Dalberto, exagerou na força e levou cartão amarelo no primeiro tempo. Já Diego Souza foi titular pela primeira vez - estreou contra o Novorizontino - e teve duas oportunidades para marcar: uma de cabeça e outra em chute de esquerda após tabela com Petros.

Acerte aqui

A dificuldade do São Paulo para marcar gols é tremenda neste início de ano. O time até consegue trabalhar bem a bola e criar, mas os últimos toques são sempre ruins. Mesmo quando o passe final é acertado, as finalizações é que falham. Isso ficou nítido em duas chances na primeira metade da etapa final: uma com Shaylon e outra com Marcos Guilherme, ambos cara a cara com o goleiro Fernando Leal.

Sobe e desce

A expectativa de maior sucesso entre os garotos promovidos para o profissional nos últimos tempos está em Brenner. O jogador de 18 anos foi titular pelo segundo jogo seguido nesta quarta, mas mais uma vez teve atuação bastante discreta. Em compensação, seu substituto nos treinos e na partida contra o Mirassol mostrou as caras. Caique entrou, aumentou o fôlego do ataque e quase marcou em chute de longe e em cabeçadas após cruzamentos de Militão e Edimar. No fim, sentiu dores na virilha e precisou de atendimento médico. Outra promessa teve sua chance em Mirassol: Paulinho Boia estreou como profissional nos minutos finais e foi mais um a perder oportunidade clara depois de pivô de Diego Souza.

Orelha quente

Se Petros era o melhor em campo no São Paulo, imaginem a reação da torcida são-paulina quando o técnico Dorival Júnior resolveu sacá-lo aos 25 minutos do segundo tempo para lançar o garoto Lucas Fernandes. Vaias e xingamentos para o treinador, que justificou a substituição por cansaço. Petros passou a faixa de capitão para Jucilei. Vaias também na saída de Shaylon, mas aí pesaram os gols perdidos pelo armador.

Alívio

Aos 38 minutos, Paulinho Boia serviu Militão na ponta direita e o lateral cruzou rasteiro. Jesiel furou e Diego Souza mandou para as redes com raiva. Cinco minutos depois. Marcos Guilherme puxou contra-ataque em alta velocidade, acionou Lucas Fernandes e correu para área. O meia levantou e o atacante teve frieza para fechar o placar com estilo.

FICHA TÉCNICA:
MIRASSOL 0X2 SÃO PAULO

Local: José Maria Maia, em Mirassol (SP)
Data/Hora: 24 de janeiro de 2018, às 21h45
Árbitro: Vinicius Furlan
Assistentes: Anderson José Moraes e Daniel Luis Marques
Cartões amarelos: Dalberto, Bruno Oliveira e Zé Roberto (MIR); Anderson Martins, Petros e Rodrigo Caio (SAO)

Gols: Diego Souza, aos 40, e Marcos Guilherme, aos 44 minutos do segundo tempo (SAO)

MIRASSOL: Fernando Leal, Bruno Oliveira, Jesiel, Edson Silva e Willian Simões; Wellington Reis, Paulinho e Xuxa (Léo Baiano); Rodolfo, Dalberto (André Luis) e Alison (Zé Roberto). Técnico: Moisés Egert.

SÃO PAULO: Sidão, Militão, Rodrigo Caio, Anderson Martins e Edimar (Reinaldo); Jucilei, Petros (Lucas Fernandes) e Shaylon (Paulinho); Marcos Guilherme, Brenner (Caique) e Diego Souza. Técnico: Dorival Júnior.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos