Palmeiras domina o Santos, mantém 100% e chega à 5ª vitória seguida

Do UOL, em São Paulo

O primeiro clássico do Palmeiras em 2018 foi feliz para o torcedor alviverde, que viu um time bastante organizado e cheio de alternativas vencer o Santos por 2 a 1 na quinta rodada do Campeonato Paulista. Antônio Carlos abriu o placar logo cedo no Allianz Parque, Borja repetiu a dose no segundo tempo, e Renato diminuiu.

A vitória no clássico comprova o início de ano muito bom do Palmeiras, o único time paulista ainda 100% no Estadual. O time de Roger Machado lidera o grupo C com 15 pontos, sete acima do São Bento, e volta a campo contra o Mirassol no sábado (10). Na mesma data o Santos pega a Ferroviária buscando recuperação: são três tropeços em cinco jogos — mas mesmo assim segue à frente da chave D com sete pontos.

Seguro: Felipe Melo toma conta do meio-campo

O volante não foi violento e nem chamou muito a atenção, mas foi justamente pelo papel 'invisível' é que Felipe Melo se destacou. O Santos não conseguiu criar nada pelo meio, tendo enorme dificuldade para vencer a primeira linha defensiva, muito por mérito do camisa 30. Para coroar a atuação, foi ele quem herdou a braçadeira de capitão de Dudu quando este deixou o jogo.

Lucas Lima para na trave

Para quem ainda esperava o meia desconfortável no reencontro com seu ex-clube, dois minutos foram suficientes para tirar qualquer dúvida. Lucas Lima comemorou muito com os companheiros o gol marcado por Antônio Carlos. Em seguida ele quase anotou golaço cobrando falta no travessão, em seu melhor lance. O meia não teve participação direta nos gols alviverdes e saiu para a estreia de Gustavo Scarpa.

Palmeiras começa avassalador e abre vantagem

Ale Cabral/AGIF

O clássico começou com dois escanteios seguidos para o Palmeiras, que saiu na frente no segundo: Antônio Carlos ganhou de David Braz pelo alto e testou firme. O gol empolgou o time da casa, o ritmo aumentou, e o segundo quase saiu em cobrança de falta de Lucas Lima que parou na trave. Muito organizado, a equipe alviverde passou mais de dez minutos controlando o jogo e sem errar um único passe.

Santos toma fôlego e equilibra o jogo

Ao final da pressão adversária, os visitantes conseguiram reagir aos 13 minutos: após falha de Antônio Carlos, Arthur Gomes cruzou com desvio, e Jaílson espalmou. No escanteio, o goleiro fez ótima defesa após cabeceio de Sasha. Daí em diante o jogo acalmou, com a posse de bola equilibrada e ambos os times abusando dos cruzamentos. Faltou calma ao Santos na construção do jogo, pois os muitos lançamentos não deram em nada.

1 a 0 acomoda o time da casa

O Palmeiras fez o gol e pouco depois praticamente abdicou de jogar. Ficou esperando o Santos com a linha defensiva formada, para em seguida tentar encaixar um contra-ataque. Dudu foi a principal válvula de escape, mas não estava tão inspirado. No meio, Lucas Lima recuou para construir as jogadas, jogando quase ao lado de Felipe Melo, mas nem o camisa 20 nem qualquer outro palmeirense conseguiu criar chances.

Jair é obrigado a mexer, e Santos sente os desfalques

Além dos desfalques de Victor Ferraz e Bruno Henrique, Jair Ventura perdeu o zagueiro Luiz Felipe, lesionado, aos 37 minutos. Sasha também sentiu dores no intervalo e deu lugar a Rodrigão. As mudanças ajudaram a amarrar o Santos, que no segundo tempo não mostrou alternativas.

Segundo tempo é 'replay' do primeiro, e Borja amplia

Daniel Vorley/AGIF

A exemplo da etapa inicial, o Palmeiras voltou do intervalo mais organizado e ambicioso do que o rival. Borja teve sua primeira chance dentro da área e demorou demais, mas não repetiu o equívoco em seguida: atravessou a jogada de Willian e bateu de primeira para ampliar. Foi o primeiro gol do atacante em clássicos pelo Palmeiras.

Renato dá esperanças ao Peixe

Após o 2 a 0, o clássico estabeleceu o mesmo jogo de forças do primeiro tempo: um Palmeiras paciente, esperando, contra um Santos em reorganização. Foi neste contexto que Renato diminuiu de cabeça em lance isolado, em um longo período em que nenhum dos times criava oportunidades. Jair aproveitou o gol para lançar o Santos à frente: trocou Caju por Rodrygo, improvisou Copete na lateral e apostou na velocidade. Mas o Santos não encontrou forças para buscar o empate, mesmo com a insistência na bola aérea.

Blogueiros comentam "máquina verde"

Paulo Vinícius Coelho destaca Felipe Melo como destaque individual do Palmeiras: errou só um em 29 passes e contribuiu com cinco desarmes. Mauro Beting chamou atenção para o fato de os melhores lances do Palmeiras estarem concentrados em poucos minutos: o início do primeiro tempo muito bom, e o início do segundo tempo excelente. Menon avisa que "a máquina verde engrenou" e aposta que o Mirassol será a próxima vítima, enquanto Juca Kfouri avalia que o time alviverde segue 100% sem sofrer.

Ficha Técnica

Palmeiras 2 x 1 Santos

Data: 4 de fevereiro de 2018
Local: Estádio Allianz Parque, São Paulo-SP
Hora: 17h00 (de Brasília)
Público: 37.867
Renda: R$ 2.821.680,24
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Daniel Luis Marques
Cartões Amarelos: Lucas Lima, Tchê  Tchê, Felipe Melo e Victor Luís (Palmeiras); Caju, Arthur Gomes, Alison e Copete (Santos)
Cartão Vermelho: não houve
Gols: Antônio Carlos aos 2 minutos do primeiro tempo; Borja aos 4', e Renato aos 17 minutos do segundo tempo

Palmeiras: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luís; Felipe Melo, Tchê Tchê e Lucas Lima (Gustavo Scarpa); Dudu (Keno), Willian e Borja. Treinador: Roger Machado.

Santos: Vanderlei; Daniel Guedes, Luiz Felipe (Robson Bambu), David Braz e Caju (Rodrygo); Alison, Renato e Vecchio; Copete, Arthur Gomes e Eduardo Sasha (Rodrigão). Treinador: Jair Ventura.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos