Vitória do SP na marra resgata moral de criticados Reinaldo e Rodrigo Caio

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

A vitória por 2 a 1 sobre o Linense teve um efeito importante para o São Paulo: elevar o moral de dois titulares que se acostumaram a jogar sempre sob pressão. Reinaldo e Rodrigo Caio marcaram os gols do Tricolor no último domingo e foram muito celebrados por companheiros, comissão técnica e até diretoria. Resgatá-los era uma das metas do departamento de futebol para esta temporada.

Em 2017, Rodrigo viveu o pior ano da carreira. Foi enquadrado na polêmica do "fair play", passou a ser chamado de "zagueiro bonzinho" e teve atuações ruins até conseguir se estabilizar na reta final do Campeonato Brasileiro. Neste ano, o nível das atuações já estava mais alto e o crescimento foi coroado contra o Linense. Desarmes, entrega até para se jogar diante de chutes do rival e gol salvador aos 47 minutos do segundo tempo. 

O zagueiro estava sofrendo com chances perdidas desde o ano passado. Contra o próprio Linense, lamentou muito oportunidade desperdiçada no início da etapa final. A reação para levar o time à vitória rendeu abraços de todo o time e de Dorival Júnior e uma homenagem feita pelo superintendente de relações institucionais Diego Lugano. O uruguaio escreveu em seu Instagram: "Não é comum, mas às vezes o futebol é justo. Parabéns, Rodrigo". Nos comentários, Rodrigo respondeu: "Boa, Luga! A justiça tarda, mas não falha. Vamos em frente, estamos juntos".

Reprodução/Instagram

Reinaldo também passa por etapa de provação. O São Paulo sempre confiou que poderia apostar no lateral-esquerdo, por mais que sempre tenha havido resistência de boa parte da torcida. Em 2015, quando o jogador teve as maiores sequências como titular, não houve regularidade e ficou marcada a eliminação na Libertadores para o Cruzeiro, com atuação ruim do ala na partida de volta, no Mineirão.

Nos dois últimos anos, Reinaldo precisou se reerguer longe do Tricolor. Deu mostras de reação na Ponte Preta e, na última temporada, reforçou a ideia de que uma segunda chance era obrigatória ao ser o grande nome da Chapecoense, classificada para a Libertadores pelo Campeonato Brasileiro.

A princípio, voltou ao São Paulo para ser reserva. Edimar iniciou, mas rapidamente passou a ser criticado pela torcida, que deu o braço a torcer e pediu a entrada do antigo vilão. Reinaldo só saiu do time por suspensão e tem sido um dos jogadores mais estáveis de uma equipe que tanto oscila. O prêmio veio com o golaço diante do Linense, em tabela com Cueva. Foi seu quarto gol pelo time tricolor, o primeiro desde 2015.

"Eu já voltei confiante. Independentemente do que fiz no passado, que já ficou para trás, vim para mostrar um novo trabalho e ajudar o São Paulo a conquistar seus objetivos. O gol é para coroar minha volta, a sequência que consegui", disse o lateral no intervalo do jogo em Lins, ao canal Premiere, pouco antes de ser substituído por estiramento no músculo adutor da coxa esquerda.

A lesão de Reinaldo é resultado da maratona de jogos encarada pelo São Paulo. Rodrigo Caio, que não treinou na última sexta-feira também por incômodo muscular, quase foi outra vítima. Depois de só 12 dias de pré-temporada, o técnico Dorival Júnior só teve uma semana livre para treinos. Por isso, ter um time forte mentalmente se torna ainda mais importante. Principalmente com clássico à vista: quinta-feira, às 20h30, contra o Palmeiras, no Allianz Parque.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos