De soberano, São Paulo passa a ser o freguês e alvo de chapéu do Palmeiras

Danilo Lavieri e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Ale Cabral/Agif

    São Paulo, de Marcos Guilherme, busca a sua primeira vitória na casa do Palmeiras

    São Paulo, de Marcos Guilherme, busca a sua primeira vitória na casa do Palmeiras

O São Paulo tenta quebrar um tabu que o persegue desde 2014. No clássico desta quinta-feira, às 20h30, contra o Palmeiras, o Tricolor busca a sua primeira vitória no Allianz Parque. Desde que o estádio foi inaugurado, foram cinco vitórias alviverdes, com placar agregado de 16 a 3. Além dos resultados negativos dentro de campo, o clube do Morumbi viu a sua supremacia desaparecer no mercado e nos bastidores nos últimos anos.

Na história recente, o São Paulo também leva chapéus do adversário na hora de montar o seu elenco. Em 2014, o então presidente tricolor, Carlos Miguel Aidar praticamente abriu guerra contra o arquirrival ao contratar Alan Kardec e Wesley, que eram do Palmeiras. Depois disso, o jogo inverteu e o Palmeiras contratou muito mais.

Mesmo com Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, no comando do São Paulo a partir de 2016, era só um jogador chamar a atenção dos tricolores que o alviverde corria para fechar o negócio se o considerasse interessante. Reforçados com os financiamentos do ex-presidente Paulo Nobre e do patrocínio da Crefisa, o Palmeiras conseguiu fechar negócio, por exemplo, com Dudu, Marcos Rocha e Gustavo Scarpa antes do rival.  

Dentro de campo, o Palmeiras também ficou bem à frente dos são-paulinos. De 2015 para cá, o Alviverde já conquistou uma Copa do Brasil, um Brasileirão e um vice-campeonato do Nacional. Enquanto isso, o melhor resultado tricolor foi uma semifinal de Libertadores e o alívio de escapar do rebaixamento do Campeonato Brasileiro. 

Até mesmo quando o assunto é show o Palmeiras está muito à frente do São Paulo nos últimos anos. O estádio foi palco de apresentações de artistas renomados como o inglês Paul McCartney e os norte-americanos do Guns and Roses. O Tricolor até recebeu Bruno Mars e o U2 no ano passado. Porém, até esses eventos causaram polêmicas, pois o então gerente de marketing do clube, Alan Cimerman, estaria envolvido em um esquema de venda irregular de ingressos e de camarotes que está sendo investigado pela polícia.

Para tentar vencer a briga dos shows, ao menos, o Tricolor fala em modernizar o Morumbi. A ideia é que o estádio não seja utilizado apenas em eventos que necessitem de um espaço maior para o público. Em campo, a reação pode não depender de obra nenhuma. Se vencer o Palmeiras fora de casa o time de Dorival pode, pelo menos, levantar a bola do são-paulino que tem sofrido pelo Choque-Rei nos últimos anos. 

Ficha técnica

Campeonato Paulista, 11ª rodada

PALMEIRAS X SÃO PAULO

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Horário: 20h30 (Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Daniel Paulo Ziolli

Palmeiras: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luís; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Dudu, Willian e Borja. 
Técnico: Roger Machado

São Paulo: Jean; Militão, Rodrigo Caio, Arboleda e Edimar; Hudson, Petros e Valdivia; Marcos Guilherme, Cueva e Brenner.
Técnico: Dorival Júnior.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos