Goleadas e coberturas: Jean luta contra sina de goleiros do SP no Allianz

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Rubens Cavallari/Folhapress

    Jean tem dois jogos e um gol sofrido com a camisa do São Paulo

    Jean tem dois jogos e um gol sofrido com a camisa do São Paulo

O Allianz Parque foi reinaugurado no fim de 2014 e se tornou uma das maiores pedras no sapato do São Paulo. Foram cinco jogos contra o Palmeiras no estádio reformado e cinco derrotas. E mais: em quatro dessas partidas, o Tricolor saiu goleado. Em duas, foi castigado com gols por cobertura. Tudo isso criou um peso sobre os goleiros do clube, uma sombra que o recém-chegado Jean terá a chance de afastar no clássico marcado para as 20h30 de quinta-feira, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista.

Será a primeira vez de Jean no Allianz e a terceira dele como titular do São Paulo. As chances apareceram quando Sidão lesionou a coxa direita e o goleiro comprado do Bahia por cerca de R$ 10 milhões agora já soma duas vitórias, com apenas um gol sofrido. Além da segurança na meta, o camisa 1 mostra personalidade para sair jogando com os pés - chegou a iniciar jogada de gol contra o CRB - e promete até bater uma falta se tiver chance no Choque-Rei.

"Ele tem a autorização para bater. Se ele tiver uma sequência boa de treinamentos e tiver sucesso, não vejo problema nenhum. Nunca fui contrário a nada. No futebol, você tem que tirar o melhor de cada um. Quem treina e trabalha tem a preferência e os de melhor aproveitamento chegarão a um acordo no momento. O que temos que fazer é proporcionar que todos estejam na mesma condição, mas dar a preferência a quem estiver com melhor aproveitamento", explicou o técnico Dorival Júnior, ao Esporte Interativo.

Mas antes de ousar e pensar em ajudar o ataque são-paulino, que só fez três gols em cinco jogos no Allianz, será preciso lutar contra a sina dos goleiros do clube. O ídolo Rogério Ceni, hoje técnico do Fortaleza, teve duas chances ainda como arqueiro em 2015. Na primeira, pelo Paulistão, foi surpreendido com um gol por cobertura do meio de campo feito por Robinho e terminou derrotado por 3 a 0. No Brasileirão daquele ano, nova goleada: 4 a 0, em jogo marcado por chances perdidas pelo São Paulo de Juan Carlos Osorio e contra-ataques mortais do Palmeiras de Marcelo Oliveira.

Denis, apesar de toda desconfiança que o cercava, foi quem teve a melhor atuação em um Choque-Rei na reformada casa alviverde. No Brasileirão de 2016, o time dirigido por Ricardo Gomes perdeu por 2 a 1, de virada, e teve no goleiro a grande arma para evitar uma nova derrota elástica. O problema é que a sorte de Denis, atualmente no Figueirense, mudaria meses mais tarde, no Paulistão de 2017. Um erro na saída de bola, chute por cobertura de Dudu e um filme repetido para levar o Allianz Parque, com torcida única, ao êxtase e o então treinador Rogério Ceni à desolação.

Sidão foi o último a encarar essa sina. O camisa 12 já havia sido promovido a titular por Dorival quando o Tricolor voltou ao estádio do rival no segundo turno do Brasileirão do ano passado. Marcos Guilherme abriu o placar, mas Willian marcou duas vezes - incluindo um golaço no ângulo - e virou. Hernanes empatou ainda no primeiro tempo, só que novamente o São Paulo foi castigado por gols perdidos. Keno e Hyoran marcaram em contra-ataques e fecharam a última goleada do clássico no Allianz Parque.

A favor de Jean para o jogo desta quinta está o desempenho defensivo do time. Nas 14 partidas desta temporada, foram apenas oito gols sofridos - seis em 13 confrontos, se consideradas apenas as atuações com o a equipe titular. Os comandados de Dorival ainda terminaram oito duelos sem serem vazados. O problema é que a defesa exaltada pela solidez em 2018 acabou sofrendo com erros justamente nos dois clássicos disputados até aqui.

Na derrota por 2 a 1 para o Corinthians no Pacaembu, o rival abriu o placar em pane coletiva de marcação. Já o segundo tento, que desempatou a partida, veio de vacilo de Anderson Martins. Já contra o Santos, que venceu por 1 a 0 no Morumbi, houve um erro misto. Coletivamente, a marcação que deveria ser pressão no ataque, foi frouxa. Isso obrigou Bruno Alves a dar bote fora da área e contribuiu para erro individual de Arboleda, que recuou demais, olhou a bola e não viu a movimentação de Gabigol.

Pelo Bahia

Jean estreará no Allianz Parque, mas não enfrentará o Palmeiras pela primeira vez na carreira. Ainda pelo Bahia, no ano passado, fez duas partidas contra os alviverdes. Em Salvador, acabou goleado por 4 a 2. Em São Paulo, mas no Pacaembu, teve atuação de destaque ao conseguir a ajudar a segurar empate em 2 a 2.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS X SÃO PAULO

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 8 de março de 2018, às 20h30
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Daniel Paulo Ziolli

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luís; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Willian, Borja e Dudu. Técnico: Roger Machado.

SÃO PAULO: Jean, Militão, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Hudson, Petros e Valdivia; Marcos Guilherme, Cueva e Brenner. Técnico: Dorival Júnior.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos