Jaílson agradece efeito suspensivo com milagres e brinca com Roger

José Eduardo Martins

DO UOL, em São Paulo

O goleiro Jailson disse que o efeito suspensivo obtido pela diretoria do Palmeiras "ajudou bastante" a equipe na vitória por 1 a 0  no clássico contra o Santos neste sábado (24).

Originalmente, o jogador estaria afastado por três jogos devido às reclamações que fez da arbitragem na derrota por 2 a 0 contra o Corinthians no final de fevereiro, mas a medida foi revertida pelo jurídico do time alviverde.

"O efeito suspensivo ajudou bastante. Não adianta nada se eu treinar e não puder ajudar", afirmou o goleiro, que foi considerado um dos melhores da partida. Ele teve boa atuação neste sábado, evitando o empate do Santos. No seu melhor lance, Jailson fez difícil defesa após Renato cabecear no primeiro tempo.

Sobre o afastamento, o goleiro disse que a agora tem que "trabalhar mais e falar menos". "Graças a Deus sou um cara batalhador, todo mundo sabe da minha história. É trabalhar bastante, falar menos, não ganhamos nada."

Questionado sobre se o técnico Roger Machado teria dúvidas para escolher o titular da equipe, caso ele se ausentasse novamente, Jailson brincou, dizendo que "o Roger que se vire com essa dor de cabeça". "Ele sempre fala que a gente tem que fazer um milagre por jogo."

O treinador do Palmeiras também elogiou o uso do efeito suspensivo sobre o afastamento de Jailson, na entrevista coletiva ao final do clássico. "A estratégia [do efeito suspensivo] foi muito importante, fez jus ao esforço de a gente ter ele em campo", declarou.

Roger Machado afirmou que, apesar disso, a equipe com boas opções para a posição. "Tenho dito que nos compromissos em que atuaram o [Fernando] Prass e o Weverton [reserva], conseguimos manter o nível, mas o Jaílson vem muito bem e é o titular desde o começo do ano."

Evitar "já ganhou"

Mesmo com a vitória de 1 a 0 contra o Santos, Jailson disse que o Palmeiras ainda não está com a vaga garantida na final do Campeonato Paulista. "Respeitamos a equipe do Santos, sabemos que ainda tem 90 minutos [de partida, com o jogo de volta]. Não ganhamos nada", declarou o goleiro. 

Na saída de campo, o goleiro também abraçou o atacante Gabriel, do Santos, e cochichou no ouvido deles. Para a televisão, o santista disse que falou sobre a amizade que tem com o goleiro palmeirense.

O volante Bruno Henrique disse que a partida foi difícil. Segundo ele, a equipe do Santos cresceu o e impôs dificuldade para o Palmeiras no segundo tempo. "A gente sentiu um pouco o cansaço. A equipe do Santos é muito jovem. Mas conseguimos segurar e manter o ritmo", afirmou.

Sobre a vantagem construída, o meio-campista disse que é uma boa vantagem. "Estávamos jogando, teoricamente, fora de casa. O time do Santos é um time bem difícil de enfrentar, então é bom aproveitar", concluiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos