Em 1º grande teste como líder, Gabigol vacila e completa um mês sem gol

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

Gabigol foi o reforço mais caro do Santos contratado para esta temporada. O camisa 10 custa mais de R$ 600 mil por mês e voltou ao clube para exercer a função de líder da nova geração de Meninos da Vila, puxada por Rodrygo, Arthur Gomes, Yuri Alberto e companhia. No entanto, o atacante vacilou em seu primeiro grande teste como líder da garotada na eliminação do alvinegro praiano diante do Palmeiras nos pênaltis, na última terça-feira, no Pacaembu.

O camisa 10 teve atuação apagada, errou quase tudo que tentou e ainda correu risco de expulsão com empurrões desnecessários nos palmeirenses. O Santos venceu por 2 a 1 no tempo normal, mas acabou derrotado nos pênaltis.

Gabigol não tem feito jus ao apelido. Ao "passar em branco" no clássico, ele completou pouco mais de um mês sem balançar as redes. O último gol foi marcado na vitória por 2 a 0 contra o Santo André, no dia 25 de fevereiro. O camisa 10 passou em branco contra Real Garcilaso, do Peru, e Nacional-URU, pela Copa Libertadores da América, Botafogo-SP pelas quartas de final (dois jogos) e Palmeiras pelas semifinais (dois jogos) do Campeonato Paulista.

Se não bastasse a falta de gols, o camisa 10 teve atuação ruim em campo. Um chapéu que levou de Felipe Mello e uma jogada de "letra" que falhou no segundo tempo apenas resumem o desempenho do atacante na decisão contra o Palmeiras.

A "letra" frustrada de Gabigol causou vaias da torcida no estádio. Em ataque do Santos, a bola sobrou na perna direita do camisa 10, que acertou a bola nas costas do companheiro.

"Eu treino e me dedico bastante. E às vezes só o gol não é tão importante. Tem assistências, marcação, etc. Falei que gostaria de ser um atacante completo, não que eu sou. Se eu fosse, seria o Cristiano Ronaldo", justificou Gabigol ao ser questionado sobre a falta de gols e sua atuação.

Além de "passar em branco" e dos lances infelizes, Gabigol errou muitos passes bobos no ataque. Ele também chegou a "armar" contra-ataques da equipe adversária. Ao lado de Arthur Gomes, Gabriel também foi um dos jogadores que mais perdeu bolas no jogo.

Gabigol ainda correu o risco de ser expulso com dois empurrões sem bola nos palmeirenses. Vale lembrar que o atacante já foi vaiado pela torcida santista após ser expulso de forma infantil no duelo contra o Nacional, do Uruguai, pela Copa Libertadores da América.

Por conta disso, ele desfalca o Santos contra o Estudiantes no próximo dia 5, na Argentina, pela terceira rodada da fase de grupos da competição continental.

Vale ressaltar que Gabigol marcou o seu gol na decisão por pênaltis. Assim como ocorreu nas penalidades contra o Botafogo nas quartas de final, o camisa 10 foi o primeiro a cobrar pelo time alvinegro e converteu com bastante eficiência.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos