Aguirre elogia "cortesia" de Carille e defende Liziero: "Craques erram"

Diego Salgado e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo (SP)

Diego Aguirre esteve perto de quebrar uma sina do São Paulo e levar o time a uma final depois de seis anos. Mas um único vacilo, aos 47 minutos do segundo tempo, levou a semifinal do Campeonato Paulista contra o Corinthians à disputa por pênaltis. O Tricolor, depois do revés por 1 a 0 no tempo normal, acabou derrubado por 5 a 4 nas penalidades. Diego Souza, que entrou no segundo tempo e não teve boa atuação, e Liziero, destaque da partida, erraram as cobranças.

Imediatamente após o apito final, todos os jogadores correram para acalmar Liziero, abalado pelo erro. E Aguirre, em sua entrevista coletiva na Arena Corinthians, fez questão de exaltar as grandes atuações do garoto. Promovido ao elenco profissional horas antes do técnico ser anunciado pelo São Paulo, em 11 de março, o jovem de 20 anos já foi titular três vezes e entrou em outras três partidas, apresentando grande regularidade e capacidade para se firmar no time.

"Ele é um jogador espetacular e não podemos nem falar de um pênalti. Os craques erram pênaltis. Ele foi uma boa incorporação, uma surpresa, ganhamos um jogador de alto nível e temos que parabenizá-lo. Não é fácil, sendo um menino como ele, jogar jogos tão importantes e tão bem. Foi uma derrota dura, porque estivemos muito perto da classificação. Futebol tem dessas coisas. É uma tristeza, mas estamos começando um trabalho e temos que tirar conclusões positivas disso", exaltou o uruguaio.

Ainda foi preciso comentar mais uma vez a polêmica envolvendo o técnico corintiano Fábio Carille. Antes da partida, o comandante alvinegro cumpriu a promessa de levar um presente para Aguirre, depois de se irritar no Morumbi por supostamente ter sigo ignorado de forma proposital pelo são-paulino. Os tricolores se incomodaram com a exposição do assunto, principalmente pelo fato de Aguirre ter se desculpado duas vezes no campo domingo passado. Nesta quarta, os técnicos trocaram presentes e selaram teórica paz, mas o Corinthians fez questão de usar o fato para fazer provocações com a classificação.

"Tudo tranquilo, teve a cortesia que eu aceitei. Eu não estava pensando nisso em nenhum momento, é um assunto encerrado, não tenho nada para falar, eu sei que ele é boa pessoa e acabou. O adversário jogou bem, tem experiência, muito tempo juntos. Eles controlaram bem a posse. Eu gostaria que o time fosse mais para frente, mas não foi possível", analisou Aguirre.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos