Corinthians tripudia e pede respeito ao SP, mas se diz "zebra" na final

Diego Salgado e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

Além da vaga, conquistada de forma dramática, nos pênaltis, o Corinthians também deixou o gramado de Itaquera com um discurso afiado. Após a eliminação do São Paulo, diferentes jogadores alvinegros e o próprio presidente Andrés  Sanchez pediram respeito após os episódios do jogo de ida e tripudiaram do rival derrotado, brincando com Aguirre, o episódio do anúncio das vendas de ingressos para finais e o tabu histórico imposto aos tricolores. Na projeção para a final, porém, fizeram questão de se colocar como "zebras". 

Em entrevistas na beira do gramado e na zona mista da Arena Corinthians, os alvinegros disseram que um anúncio de venda de ingressos antecipada por parte do São Paulo antes mesmo de a bola rolar gerou desconforto no elenco. A palavra 'soberba' chegou a ser usada. Houve também menções ao técnico Diego Aguirre, que foi criticado por Fábio Carille no último domingo por não cumprimentá-lo - somente Cássio se mostrou como exceção.

De acordo com o corintiano Pedro Henrique, os jogadores e a comissão técnica souberam do anúncio da venda de ingressos durante o caminho até a Arena Corinthians. A imagem logo se espalhou e ganhou o vestiário.

"Venderam ingresso antes sem uma definição, isso é um desrepeito para nós, colocamos tudo isso dentro do campo. Tem de aguentar lá do outro lado. A gente trabalhou quietinho e estamos na final", disse o zagueiro.

O mandatário alvinegro se juntou ao discurso e acusou o São Paulo de soberba. "Acho que nós temos que respeitar mais o próximo. Eles colocaram ingresso da final pra vender, acho que é pro ano que vem. É a tal da soberba. Tem soberba há cem anos, terrível", frisou.

Emerson Sheik chegou a fazer ironias em torno do assunto ao dizer que o presidente corintiano convocaria uma reunião para tratar do assunto. "Vou pedir para ele pegar esses torcedores para virem aqui ver a final", afirmou.

Daniel Vorley/AGIF
Corinthians se considera zebra na decisão

Vale ressaltar, porém, que o São Paulo jamais chegou a vender ingressos para a final. Por um erro da empresa responsável, houve um anúncio dos ingressos, mas a venda não chegou a ser concretizada. Para o diretor de futebol do São Paulo, Raí, o time tricolor não entrou em campo com soberba.

"Em nenhum momento. Nem fora de campo nem dentro de campo. Vocês viram a todo momento, e quem acompanhou o jogo comprovou isso. Teve respeito. Lutamos até o final e temos certeza de que essa postura do grupo vai dar muitos frutos em um futuro próximo", frisou.

Caso Aguirre foi citado

Alguns jogadores do Corinthians não deixaram de alfinetar Aguirre pela falta de cumprimento a Carille antes do jogo de ida, no gramado do Morumbi. O telão da Arena Corinthians chegou a mostrar a hashtag 'RespeitaOProfessor'.

"Realmente, foi bem bacana ter visto no telão. Ele chegou muito feliz, óbvio. Bom que o Diego Aguirre agora conhece ele, né? Está mais tranquilo. Na próxima ele deve dar bom dia, boa tarde, boa noite", disse Rodriguinho.

"Ele não reconheceu o treinador do Corinthians, o atual campeão brasileiro e paulista, que se chama Fábio Carille. Isso soa muito mal para o nosso futebol. Eu não aprovo mesmo essa atitude, acho uma grande falta de educação, assim como foi no gol deles também, numa falta de respeito total", disse Sheik.

Daniel Vorley/AGIF
Rodriguinho vibra com o gol marcado no final do jogo contra o São Paulo em Itaquera

Favoritismo é do Palmeiras, diz Corinthians

Andrés também frisou que o Corinthians é a zebra da decisão, num tom similar ao adotado na temporada passada, quando o time foi apontado como a quarta força e conquistou os títulos paulista e brasileiro. "Corinthians é zebra. Quem ganhar, quem for competir com o Palmeiras, se ganhar é zebra. Mas, vamos humildemente, quietinho, tentar ganhar o campeonato", disse o mandatário.

Gabriel, por sua vez, disse que não existe favorito na final, numa declaração distinta da concedida no começo do mês, quando afirmou que o Corinthians é 'o melhor tie do Brasil'. "Favoritismo é dificil de dizer. Somos os atuais campeões, mas são dois grandes clubes, é difícil de dizer", disse o volante, que também falou do estilo adotado pelo time desde o ano passado.

"O Corinthians é um time humilde, todos marcam. No Corinthians nunca teve salto alto. Vários jogadores aqui passaram dificuldades para chegar aqui. Falta de concentração existiu, foi um dia que nada deu certo, mas agora é virar a página."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos