Confusão no fim do 1º tempo de final termina com Clayson e F. Melo expulsos

Diego Salgado e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

O clássico entre Corinthians e Palmeiras válido pelo primeiro jogo da final do Campeonato Paulista começou quente e com expulsões. Após uma confusão nos minutos finais do primeiro tempo, Clayson e Felipe Melo receberam cartão vermelho. O time alviverde venceu a partida por 1 a 0, com gol de Borja.

O bate-boca começou depois de um lance próximo à bandeira de escanteio no ataque do Palmeiras, envolvendo Borja e Henrique. Em seguida, ainda com a jogada parada, Clayson e Dudu se estranharam dentro da área. Jogadores dos dois times se juntaram e um princípio de empurra-empurra se instalou, com Felipe Melo e Clayson especialmente exaltados.

Após a confusão ser separada, o árbitro Leandro Bizzio Marinho afastou os jogadores e se reuniu com seus auxiliares por alguns minutos no centro do campo. Ele decidiu mostrar cartão amarelo para Borja e Henrique, e expulsar Clayson e Felipe Melo.

A rixa entre Clayson e Melo, aliás, vem de longa data. Em novembro do ano passado, no intervalo da vitória por 3 a 2 do Corinthians pelo Brasileirão, os dois brigaram no túnel de acesso ao vestiário e trocaram acusações. Já em 2018, eles não se cumprimentaram nem antes do dérbi da primeira fase, nem na final deste sábado.

"Acho que isso não faz parte do clássico, não. A bola era nossa ali, o zagueiro deles estava atrapalhando, aí do nada todo mundo empurrando todo mundo. Isso é feio para o clássico, é feio para os dois times. Os dois times perdem. Eles estão jogando no estádio deles e acham que são mais homens, chegam empurrando. Tem que ter educação também", disse Dudu em entrevista à Rede Globo no intervalo do jogo.

"Não deveria fazer parte, não deveria. Estraga… Eu estava de longe, não deu para ver a jogada direito, mas ainda assim acho que não foi uma jogada para gerar uma confusão como esta. É triste porque estraga o espetáculo, o jogo. O torcedor veio para ver um bom futebol, e acaba vendo briga", afirmou Sheik.

Clayson chama Felipe Melo de covarde

Na zona mista após a partida, o corintiano mostrou insatisfação com a postura do volante rival e também com a arbitragem de Leandro Bizzio Marinho. "Ele [Felipe Melo] foi covarde. Eu não o vi. Tomo um empurrão no rosto, e aí fico p..., é claro. Mas não tinha a necessidade de expulsar", diz o atacante.

Felipe Melo defendeu-se lamentando que "pagou pelo nome" e argumentando que tem tentado ficar mais tranquilo em campo. "Foi uma das primeiras vezes em que fui expulso sem fazer nada", reclama.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos