Súmula do dérbi fala em "revide" de F. Melo, copo atirado e briga pós-jogo

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Vorley/AGIF

    Confusão entre Felipe Melo e Clayson ocorreu no fim do primeiro tempo na Arena Corinthians

    Confusão entre Felipe Melo e Clayson ocorreu no fim do primeiro tempo na Arena Corinthians

O árbitro Leandro Bizzio Marinho divulgou a súmula do primeiro jogo das finais do Campeonato Paulista, vencido por 1 a 0 pelo Palmeiras sobre o Corinthians, neste sábado. Em seu relato sobre os 12 cartões exibidos ao longo da partida, sendo os dois vermelhos para Clayson e Felipe Melo, o árbitro não cita o soco desferido pelo palmeirense que provocou reação do corintiano. De acordo com o relatório do dérbi, Felipe Melo "revidou" um gesto de Clayson já no fim do primeiro tempo.

"Por revidar à agressão sofrida pelo seu adversário Sr Clayson Henrique da Silva Vieira, número 25 do Sport Club Corinthians Paulista, segurando o mesmo pelo pescoço utilizando de força excessiva. Cabe informar que o fato ocorreu fora da disputa de bola e com o jogo paralisado", foi a justificativa para o vermelho de Felipe Melo, enquanto o cartão de Clayson teve a seguinte explicação: "Por desferir dois tapas com força excessiva em seu adversário Sr Felipe Melo de Carvalho, número 30 da equipe Sociedade Esportiva Palmeiras, sendo que o primeiro acerta o braço direito do mesmo, e o segundo não o atinge. Situação essa ocorrida fora da disputa de bola e com o jogo paralisado".

Em transmissão de TV há uma imagem que mostra um soco desferido por Felipe Melo em Clayson na origem da confusão, mas o palmeirense nega a acusação e diz que "paga pelo nome".

Além da confusão entre Clayson e Felipe Melo, a súmula do dérbi ainda cita uma confusão após o jogo entre Lucca, atacante reserva do Corinthians, e Roberto Ribas, auxiliar-técnico do Palmeiras. De acordo com o relato, "ambos precisaram ser contidos por pessoas que estavam próximas no momento do ocorrido". Um dos fiscais da partida relatou o ocorrido a Bizzio Marinho e provou com imagens gravadas no local.

Também por meio das pessoas responsáveis pela fiscalização da partida, há dois eventos relatados que podem ter consequências futuras em termos de punição para o Corinthians: a paralisação do jogo por quatro minutos em razão do uso de sinalizadores pela torcida alvinegra e também um copo atirado em direção a Felipe Melo no momento em que ele descia a rampa de acesso aos vestiários após a expulsão. O objeto de plástico não acertou o palmeirense.

Além do copo, a arbitragem também presenciou pipocas atiradas e cusparadas em direção aos jogadores do Palmeiras e aos próprios árbitros: "Quando os atletas da equipe da Sociedade Esportiva Palmeira se dirigiam na rampa de acesso para seu vestiário, receberam cusparadas da torcida da equipe mandante e, no momento em que a equipe de arbitragem se dirigia ao vestiário, na rampa de acesso, a mesma também foi atingida por cusparadas. Na saída do 2º tempo (final do jogo), no momento em que os jogadores da Sociedade Esportiva Palmeiras se dirigiam ao vestiário na rampa de acesso, foram arremessados pipocas e cusparadas na direção dos atletas e na arbitragem pelos torcedores da equipe mandante", diz.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos