MP apoia PM, veta treinos abertos e avisa rivais: "Eles que se entendam"

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Vorley/AGIF

    Fagner é acompanhado por Willian durante Corinthians x Palmeiras na final do Paulista

    Fagner é acompanhado por Willian durante Corinthians x Palmeiras na final do Paulista

O Ministério Público engrossou o discurso da Polícia Militar e já avisou: Palmeiras e Corinthians não poderão fazer treinos abertos no mesmo dia em São Paulo. Os dois times divulgaram que pretendiam abrir os portões de seus respectivos estádios na manhã de sábado, véspera da final do Campeonato Paulista, marcada para 16h de domingo (8). 

"Para cortar esta história pela metade: eu falei com o presidente da Federação Paulista de Futebol. Estou com o documento do Choque em mãos e não há a menor possibilidade de Palmeiras e Corinthians treinarem no mesmo dia. Não tem condições de isso acontecer por conta do deslocamento das duas torcidas", explicou o promotor Paulo Castilho ao UOL Esporte

"Amanhã (terça-feira), vou oficiar os dois clubes. Eles que se entendam. Ou eles se entendem ou nenhum deles vai fazer o treino aberto. Vou falar com os dois presidentes e espero que eles tenham um acordo", completou. 

Mais cedo, o Major Vilariço, da Polícia Militar, já havia explicado que as duas equipes não poderiam treinar no mesmo dia. Ele destacou que o Palmeiras havia protocolado a sua intenção antes dos corintianos e sinalizou que isso poderia dar vantagem ao Alviverde.

Paulo Castilho, no entanto, disse que o acordo precisará vir de uma conversa entre os dois clubes. A ideia surgiu no meio da semana passada, após a definição da final. Em evento na FPF, os presidentes de ambos os clubes admitiram a possibilidade após campanha da torcida na internet. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos