Andrés diz que Corinthians cedeu demais e promete treino aberto no sábado

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Vorley/AGIF

O presidente Andrés Sanchez promete que o Corinthians treinará, em sua Arena e para seus torcedores no sábado, véspera da final do Campeonato Paulista. Apesar da Polícia Militar e do Ministério Público se posicionarem de forma contrária à atividade no mesmo dia por parte de corintianos e palmeirenses, Sanchez insiste que a segurança no estádio ficará a cargo do clube. E fora dele, é de responsabilidade do poder público. 

"O Corinthians não vai pedir policiamento. Mudar o treino seria a falência total do estado. Nós vamos fazer", disse em contato com o UOL Esporte. "Nos já fizemos treino aberto três ou quatro vezes e nunca pedimos policiamento, pois a polícia tem mais o que fazer do que acompanhar um simples treino. Não chamamos e nem chamaremos", acrescentou o presidente. 

"Nós procuramos ajudar [as autoridades], mas só na zona leste, onde tem maioria corintiana, tem quase 5 milhões de habitantes. Se fechar [o treinamento] será pior, pois a torcida já vai de qualquer jeito. Aí sim seria tumulto", explicou Sanchez.

Segundo ele, transferir o treinamento aberto em Itaquera para sexta-feira não seria positivo, já que ao menos parte do público interessado trabalha em dia útil. Ainda na avaliação do presidente, o Palmeiras já jogará para seus torcedores no domingo, no Allianz Parque. "Nossa torcida só terá o treino de sábado para levar apoio ao time. Sábado passado, antes do primeiro jogo, não fizemos treino aberto e a torcida do Palmeiras apoiou seu time no CT", comparou. 

Ainda na avaliação do presidente Andrés Sanchez, o Corinthians já cedeu em quatro situações anteriores. 

- Bragantino x Corinthians, no Pacaembu, foi alterado de domingo às 11h para às 16h no dia 18 de março. 

- Corinthians x Bragantino, em Itaquera, seria quarta (21 de março) às 21h45, e passou para quinta (22 de março) às 20h. Isso foi consequência da mudança de data de Palmeiras x Novorizontino, a pedido dos palmeirenses por conta de show no Allianz Parque, que passou de 20 para 21 de março. 

- Em consequência dessa mudança, o Corinthians só teve dois dias de intervalo para se preparar para a semifinal contra o São Paulo, no dia 25 de março, no Morumbi. 

- O primeiro jogo da final seria no domingo (1), mas foi antecipado para o sábado (31) porque o Palmeiras joga nesta terça-feira, pela Libertadores. Com isso, os corintianos só tiveram dois dias de descanso para a finalíssima, prazo inferior ao recomendado pela Fifa. 

Promotor do Ministério Público, Paulo Castilho disse em entrevista ao Sportv que os clubes e seus dirigentes podem ser responsabilizados caso mantenham os treinamentos abertos para o sábado. "É uma determinação, uma recomendação da PM e do MP, que não têm condições de fazer este evento garantindo a segurança do cidadão. Casos eles insistam, vão ter que arcar com a responsabilidade cível e criminal. É objetivamente [responsabilidade] do clube qualquer dano causado pelos torcedores que forem aos estádios, e mesmo aqueles que não forem em nenhum dos treinos", argumentou. 

Na avaliação do presidente do Corinthians, a ameaça do promotor compete ao departamento jurídico do clube, mas não representa riscos para o clube. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos