Galiotte mantém posição e diz que Palmeiras terá treino aberto para torcida

Do UOL, em São Paulo

  • Ale Cabral/AGIF

Para todos os efeitos, o Palmeiras pretende treinar com a presença de sua torcida no sábado, véspera do segundo jogo da final do Campeonato Paulista. O presidente alviverde afirmou que mantém sua posição apesar do veto do Ministério Público, que não quer que o clube e o Corinthians realizem treinos abertos ao mesmo tempo.

"O treino está agendado, marcado e vai ocorrer. O que existe é uma recomendação do MP. A responsabilidade do Palmeiras é dentro do Allianz. Fora do Allianz cabe à PM, cabe às autoridades competentes, ao MP. Nós protocolamos, devidamente, e o Palmeiras avisou que faria o treinamento com a torcida. Nós vamos manter a nossa posição", afirmou Maurício Galiotte ao Fox Sports.

"O Palmeiras mantém a posição, o treino será aberto à torcida com 1kg de alimento na entrada. É extremamente importante para nós, que queremos muito o título e vamos brigar. O torcedor é fundamental. Dentro do estádio, temos a segurança do torcedor como responsabilidade. Fora do estádio, a responsabilidade não é do Palmeiras", reiterou o dirigente após a vitória por 2 a 0 sobre o Alianza Lima, do Peru, pela Libertadores.

O Palmeiras venceu o jogo de ida por 1 a 0, na Arena Corinthians, e, no domingo, terá que empatar ou vencer no Allianz Parque para ficar com o título estadual. O técnico Roger Machado comemorou o fato de que terá a torcida ao seu lado, mas disse que será cauteloso.

"É claro que, nesse dia do treino aberto, eu vou tentar mostrar o menos possível. Tudo o que eu puder decidir de estratégia, será decidido até a antevéspera", afirmou durante a entrevista coletiva.

Já o volante Felipe Melo, que não vai jogar a final por ter sido expulso no jogo de ida, aprovou a presença da torcida no treino e não mostrou preocupação com o fato de o Corinthians treinar no mesmo horário.

"O que eles (Corinthians) fazem não interessa, o que interessa é o que o Palmeiras faz. Se a gente vai abrir o treino é uma questão da nossa diretoria. Se eles acham por bem nós estarmos com os nossos torcedores nesse dia de treinamento, eu acho muito importante esse contato. Mas o importante é domingo", disse o jogador.

O presidente do Corinthians também já se mostrou irredutível sobre a mesma questão: Andrés Sanchez não abre mão de treinar com a presença da torcida alvinegra no mesmo dia.

Apesar de a Polícia Militar e o Ministério Público se posicionarem de forma contrária à atividade no mesmo dia por parte de corintianos e palmeirenses, Sanchez insiste que a segurança no estádio ficará a cargo do clube. E fora dele, é de responsabilidade do poder público.

"O Corinthians não vai pedir policiamento. Mudar o treino seria a falência total do estado. Nós vamos fazer", disse em contato com o UOL Esporte. "Nos já fizemos treino aberto três ou quatro vezes e nunca pedimos policiamento, pois a polícia tem mais o que fazer do que acompanhar um simples treino. Não chamamos e nem chamaremos", disse o mandatário.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos