FPF contesta Palmeiras e diz que vídeo não prova interferência externa

Do UOL, em São Paulo

A Federação Paulista de Futebol (FPF) emitiu uma nota oficial contestando o vídeo divulgado pelo Palmeiras. De acordo com a entidade, a sequência de imagens "não prova nenhuma interferência externa" na final do Campeonato Paulista.

No vídeo divulgado, o Palmeiras acusa Dionísio Roberto Domingos, diretor de arbitragem da FPF, de passar informações para a arbitragem. Na imagem, o dirigente sobe pelo túnel do vestiário, entra em campo e, segundo o Palmeiras, se comunica com um dos assistentes. O clube acredita que ele nem deveria estar em campo.

A FPF, no entanto, contesta. De acordo com a entidade, Dionísio estava "legitimado a permanecer no entorno do gramado". A FPF afirma que nenhum diretor teve qualquer influência na decisão do árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, que voltou o pênalti marcado para o Palmeiras.

Confira a nota oficial:

Em respeito ao torcedor, a Federação Paulista de Futebol vem novamente a público prestar os seguintes esclarecimentos:

1- Como responsável pela avaliação da equipe de arbitragem, Dionísio Roberto Domingos estava legitimado a permanecer no entorno do gramado, onde ficou durante a partida inteira. Nem ele nem nenhum diretor da entidade teve qualquer influência na decisão da equipe de arbitragem na final do Campeonato Paulista de 2018;

2-  As imagens veiculadas pelo site da Sociedade Esportiva Palmeiras não provam nenhuma interferência externa na decisão dos árbitros, de voltar atrás na marcação de um pênalti inexistente;

3- A FPF lamenta qualquer ação que vislumbre modificar o resultado de campo nos tribunais;

4- Por fim, a FPF informa que está atenta às reivindicações feitas pelo Palmeiras por meio da imprensa e afirma que, em coerência com todas a atitudes desta gestão, colocará as propostas em pauta para que os clubes, soberanamente e em colegiado, decidam a respeito da gravação das conversas entre os árbitros e da adoção do VAR para o Paulistão-2019.

Entenda o caso

No segundo tempo da partida vencida pelo Corinthians, o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza chegou a apitar pênalti de Ralf sobre Dudu. No entanto, após longa deliberação, o juiz voltou atrás e não deu a infração. O Palmeiras tem certeza de que houve influência externa na decisão do árbitro.

De domingo para cá, o presidente Maurício Galiotte já chamou o Campeonato Paulista de "Paulistinha", rompeu relações com a FPF de maneira oficial - o que incluiu um boicote à festa do estadual, que teve Jailson e mais oito alviverdes premiados - e fez três grandes exigências à entidade para o Paulista 2019, como o auxílio do árbitro de vídeo e a gravação de todos os áudios de comunicação da arbitragem.

Assista ao vídeo da confusão no clássico:

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos