Presidente do TJD diz que final do Paulista pode "mudar" após investigação

Do UOL, em São Paulo (SP)

O presidente do Tribunal de Justiça Desportiva-SP (TJD-SP), Antônio Olim, admitiu nesta quarta-feira que o resultado do Campeonato Paulista pode mudar. Em entrevista à TV Globo, Delegado Olim afirmou que, caso a investigação conclua a interferência externa na arbitragem, o título do Corinthians ficará em xeque.

"Pode mudar. De repente o que chegar lá na frente, se tiver alguma coisa que mostre que alguém fez o juiz mudar sua posição, sim. Vamos ver todas as imagens, ouvir as pessoas. Não vamos falar antes de investigar. A investigação é muito rápida e vai ser bem profunda. Vamos chamar quem precisar", afirmou Olim, que anunciou o início das investigações.

"Imediatamente com o pedido do Palmeiras, mandamos para o procurador-geral. Será escolhido um relator e será colocado em pauta. É uma investigação policial e faremos", acrescentou.

Delegado Olim, porém, reafirmou a posição da FPF de que Dionisio Roberto Domingos, chefe de arbitragem da federação e usado pelo Palmeiras como "prova irrefutável" da interferência externa, tem a autorização para estar no gramado.

"Essa pessoa [Dionísio Roberto Domingos] até tem autorização para estar em campo. Todos os vídeos serão vistos, e o Palmeiras entrou com a representação. Hoje continua do jeito que está", finalizou o presidente do tribunal desportivo.

A chance de impugnação da partida, no entanto, pode ser encerrada por uma questão burocrática. O Palmeiras não realizou o pagamento de uma taxa de R$ 9 mil à Federação Paulista, que consta no Código Brasileiro de Justiça Desportiva para casos de impugnação. O pedido pode ser indeferido, de acordo com matéria do Globoesporte.com.

O clube, diante da entrevista dada pelo presidente do TJD para o site, emitiu uma nota oficial em que se defende e questiona se a Federação Paulista tem interesse de buscar "a verdade real sobre os fatos" ou procurar "subterfúgios" para engavetar o caso.

Confira a nota oficial publicada pelo Palmeiras:

"Em relação à reportagem veiculada nesta quarta-feira (11) no site globoesporte.com contendo declarações do presidente do TJD-SP, Dr. Antonio Olim, esclarecemos que apresentamos pedido de instauração de inquérito (Art. 81), o qual não exige recolhimento prévio de custas e que, inclusive, o Dr. Olim já afirmou às redes de televisão que entendia ser o caso. Ao final do inquérito, o Palmeiras terá a prerrogativa ou não de requerer a impugnação.

De qualquer forma, o Palmeiras faz o seguinte questionamento direto à FPF: existe interesse e coragem para se buscar a verdade real sobre os fatos ou tentarão utilizar de subterfúgios processuais (como foi feito em inúmeros casos precedentes no futebol brasileiro) para justificar o engavetamento do problema?"

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos