Sindicato revela ameaça a árbitros da final: "Não estão saindo de casa"

Do UOL, em São Paulo

O presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo (Safesp), Arthur Alves Junior, convocou uma entrevista coletiva nesta quinta-feira (12) para rebater a acusação do Palmeiras de que teria havido interferência externa na final do Campeonato Paulista.

"A decisão sempre é do árbitro. E a decisão da equipe de arbitragem foi corretíssima, foi correta", disse Alves Junior. "Nós não vamos admitir isso. Não houve interferência externa. A equipe de arbitragem é treinada, ela treina para as decisões dela serem as soberanas", continuou.

Durante a entrevista, Alves Junior afirmou que a equipe de arbitragem que trabalhou na final do Campeonato Paulista tem sofrido ameaças. "Presidente do Palmeiras, por favor, peço pelo amor de Deus. Nossos árbitros não estão podendo sair de suas casas. Eles têm trabalho, eles possuem vida profissional, vida familiar. Seus filhos não estão conseguindo ir à escola".

Alves Junior pediu proteção da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. "Temos árbitros que estão recebendo ameaças de morte. Por favor, nos dê proteção secretário. A torcida do Palmeiras não é isso. É uma torcida imensa, uma torcida maravilhosa".

"Temos gravações de ameaças de possíveis torcedores, que não são torcedores, com os árbitros. A equipe de arbitragem gostaria de estar aqui presente, porém, eles estão evitando de sair na rua. Estão pedindo licença de seus trabalhos por ameaças que estão acontecendo. As famílias deles estão em pânico", completou.

Na última terça-feira (10), o Palmeiras divulgou um vídeo em que dizia provar a interferência do diretor de arbitragem da Federação Paulista de Futebol (FPF), Dionísio Roberto Domingos, na anulação do pênalti em Dudu.

Um dia depois, a própria FPF já havia emitido uma nota oficial contestando a posição do Palmeiras e afirmando que "o vídeo não prova nada".

Entenda o caso

No segundo tempo da partida vencida pelo Corinthians, o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza chegou a apitar pênalti de Ralf sobre Dudu. No entanto, após longa deliberação, o juiz voltou atrás e não deu a infração. O Palmeiras tem certeza de que houve influência externa na decisão do árbitro.

De domingo para cá, o presidente Maurício Galiotte já chamou o Campeonato Paulista de "Paulistinha", rompeu relações com a FPF de maneira oficial - o que incluiu um boicote à festa do estadual, que teve Jailson e mais oito alviverdes premiados - e fez três grandes exigências à entidade para o Paulista 2019, como o auxílio do árbitro de vídeo e a gravação de todos os áudios de comunicação da arbitragem.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos