Topo

Coluna

Oscar Roberto Godói


Jogo entre CSA e Goiás será teste para árbitras antes do Mundial feminino

Edina Alves Batista será a primeira mulher a apitar jogo do Brasileirão desde 2005 - Alex Grimm - FIFA/FIFA via Getty Images
Edina Alves Batista será a primeira mulher a apitar jogo do Brasileirão desde 2005 Imagem: Alex Grimm - FIFA/FIFA via Getty Images
Oscar Roberto Godói

Jornalista e ex-árbitro, esteve sob a chancela da Fifa de 1993 a 2000.

25/05/2019 04h00

O jogo CSA x Goiás, na próxima segunda-feira pelo Campeonato Brasileiro, marca a volta da arbitragem feminina em jogos masculinos no Brasil. A paranaense Edina Alves será auxiliada por Emerson Augusto de Carvalho e Neuza Back. As mulheres integram o quadro internacional da FIFA e vão participar do Mundial feminino representando o Brasil. Emerson já esteve em duas Copas e substitui, nesse jogo, a outra convocada Tatiane Sacilossi, que está lesionada.

Foi a própria FIFA quem separou as mulheres para jogos femininos e homens para os campeonatos masculinos. No Brasil, já tivemos mulheres competentes tanto no apito quanto na bandeira. Sílvia Regina foi a última a comandar um jogo masculino na principal divisão brasileira, em 2005. Ela vai coordenar a arbitragem pelo VAR.

Num ambiente machista na prática e na orientação sexual, a figura masculina já encontra muita dificuldade para se impor e se fazer respeitado pelos envolvidos diretamente no jogo. A figura feminina inibe a falta de educação e o linguajar vulgar de técnicos e jogadores. Até a torcida se comporta melhor nas ofensas.

Pelo tempo que já se passou, percebe-se que a CBF atendeu a sugestão da FIFA e dificultou a ascensão das mulheres brasileiras no apito. O caminho mais curto escolhido foi o da função de assistente. O jogo entre CSA e Goiás será um teste para saber se nossas mulheres têm competência para se saírem bem no Mundial. Acredito que sim.

No fim de semana também haverá mais um clássico paulista válido pelo Brasileirão. O Corinthians joga contra o São Paulo com arbitragem local. Até que enfim!

O sorteio escolheu Flávio Rodrigues de Souza, que ainda não é da FIFA mas tem tido boas atuações na competição. Ele será auxiliado por Marcelo Van Gasse-FIFA e Daniel Luiz Marques, outro excelente e experiente na função. Ilbert da Silva será o quarto árbitro. O analista de campo será o ex-árbitro José Henrique de Carvalho.

No comando do VAR teremos Rodrigo Amaral, auxiliado por Vinicius Furlan e Alex Ribeiro. O perigo está na função de supervisor de protocolo exercida pelo nefasto Sergio Correa da Silva. Todo mundo cai na CBF, alguns vão preso e ele continua lá. Muda de sala, mas não cai.

Se Flávio entrou no sorteio e está no jogo é porque os clubes na rejeitaram. Então, vamos torcer para que tudo corra e termine bem.

Mais Oscar Roberto Godói