UOL Esporte Futebol
 
15/04/2010 - 12h31

Custo previsto de estádios de 2014 aumenta R$ 728 milhões em menos de um ano

Gustavo Franceschini
Em São Paulo

Em 2009, quando a Fifa divulgou as 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, a estimativa de gastos com estádios era de R$ 3,7 bilhões. Hoje, menos de um ano depois e poucos dias antes do prazo-limite para o início das obras, o valor ganhou o acréscimo de R$ 728 milhões, uma correção de cerca de 19,2%.

A conta inicial, de R$ 3,7 bilhões, data de maio de 2009, e não considera Curitiba e Belo Horizonte, que à época não haviam divulgado seus custos. Para efeito de comparação, a reportagem do UOL Esporte excluiu ambas novamente. Com Arena da Baixada e Mineirão, os estádios da Copa passam a custar R$ 5,07 bilhões.

Este número deve aumentar já nos próximos meses. Os investimentos de São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, cidades com estádios particulares, estão atrelados à desoneração dos impostos sobre materiais de construção, que ainda dependem da aprovação de um projeto específico para a Copa do Mundo. Caso as taxas sejam mantidas, todas deverão acrescer valores.

Minas Gerais e Natal também reforçam a lista da "inflação". Ambas ainda não definiram seu principal processo licitatório, e o valor divulgado no momento deve ser ampliado. Belo Horizonte, por exemplo, pretende inserir a conta das atrações do entorno do Mineirão, que foram ignoradas nas previsões de gastos de 2009 e 2010.

COMPARE PREÇOS DE ESTÁDIOS DE 2014

Cidades 2009 2010
AM R$ 600 mi R$ 500 mi
BA R$ 320 mi R$ 591 mi
CE R$ 400 mi R$ 452 mi
DF R$ 600 mi R$ 740 mi
MT R$ 350 mi R$ 420 mi
PE R$ 500 mi R$ 480 mi
RJ R$ 430 mi R$ 600 mi
RN R$ 300 mi R$ 350 mi
RS R$ 140 mi R$ 130 mi
SP R$ 135 mi R$ 240 mi
Total: R$ 3.775 bilhões R$ 4.503 bilhões

Os orçamentos ainda podem sofrer aumento por conta de atrasos. Em casos emergenciais, a legislação permite a contratação de empresas sem licitação, o que normalmente resulta em grandes majorações.

Algumas cidades, porém, prometem reduzir sua pedida. O maior exemplo é Brasília, que sofreu nas últimas semanas com acusações de superfaturamento na licitação do estádio Mané Garrincha.

À época, Eduardo Castro Mello, arquiteto do projeto, creditou os altos preços à qualidade dos materiais escolhidos. O responsável, porém, adianta que o valor deve cair quando o processo licitatório for concluído, o que não aconteceu até agora em decorrência do escândalo político que levou o ex-governador José Roberto Arruda à prisão.

“O valor do edital é de R$ 740 milhões, mas esse é o nosso máximo. Vai vencer a empresa que apresentar a menor proposta”, disse o arquiteto.

A maior majoração da lista é a da Fonte Nova, em Salvador, que subiu R$ 271 milhões. O estádio amazonense, por sua vez, apresentou a maior queda, de cerca de R$ 100 milhões.

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host