UOL Esporte Futebol
 
19/08/2010 - 09h01

América do Sul quer até seis vagas para o Mundial do Brasil em 2014

Martín Fernandez
Da Folhapress
Em São Paulo

Se depender da Conmebol, a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, terá até seis seleções sul-americanas, o que se configuraria num recorde na história da competição. Nicolas Leoz, presidente da Conmebol, afirmou nesta quarta-feira em Porto Alegre, onde esteve para acompanhar a final da Taça Libertadores, que vai lutar na Fifa para que as vagas do continente sejam mantidas.

Desde que o Mundial passou a ter 32 seleções, a América do Sul tem direito a quatro vagas diretas. O quinto colocado das eliminatórias tem de passar por uma repescagem. Com o Brasil já classificado por ser o país-sede, a tendência é que a Fifa corte uma das vagas destinadas aos sul-americanos -a definição só vai ocorrer no ano que vem.

“Quando a Copa foi na Europa, as vagas europeias foram mantidas; quando foi na África, as vagas lá também foram mantidas. Nós queremos a manutenção do sistema que já existe. É a posição oficial da Conmebol”, declarou Leoz.

Essa foi a primeira vez que o presidente da entidade se posicionou publicamente sobre o assunto, que gera polêmica. Se o pedido dos sul-americanos for atendido, a Conmebol terá 60% de seus filiados na Copa do Mundo de 2014.

O paraguaio Leoz também confirmou que o Brasil será sede da Copa América em 2015 e que o Chile terá o direito de organizar a competição quatro anos depois. A de 2011 será na Argentina. “Se brasileiros e chilenos quiserem trocar, a Conmebol não se opõe. Sei que há essa negociação, mas a Conmebol não interfere.”

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host