Topo

Mauricio Stycer


Com mensagem, Globo reforça a ideia de que o Brasil depende de Neymar

Reprodução/TV
Neymar manda recado para o torcedor brasileiro no Esporte Espetacular, da Globo Imagem: Reprodução/TV
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Colunista do UOL

2018-06-17T13:00:13

17/06/2018 13h00

Abalada em 2016, depois das críticas ao desempenho da seleção olímpica, a relação de Neymar com a Globo parece totalmente restabelecida em 2018.  Os sinais são vários. Vão desde os elogios de Galvão Bueno ao craque nos últimos amistosos à recente homenagem de Luciano Huck em seu programa, passando pelo tom entusiasmado de todas as reportagens da emissora que falam do jogador.

Três horas antes da estreia da seleção brasileira na Copa, neste domingo (17), o “Esporte Espetacular” exibiu uma matéria especial, na qual reforçou o seu vínculo com o atleta. “O Neymar, nosso craque, camisa 10 do time, gravou para o Esporte Espetacular um recado pra você, torcedor brasileiro”, avisou a apresentadora Fernanda Gentil. “Que estas palavras, realmente, te inspirem. E inspirem também os caminhos da nossa seleção”, completou.

Nos minutos seguintes, o programa misturou palavras de Neymar, em plano fechado no seu rosto, a imagens do jogador entre 2014 e os dias de hoje. “Foram quatro anos de luta, mas agora estou pronto. Depois de sentir todo o peso do mundo em minhas costas”, disse ele, enquanto víamos cenas da entrada de Zuniga pelas costas do jogador na partida com a Colômbia na Copa passada.

“Depois de chegar ao topo da Europa, eu tive que provar tudo de novo”, prosseguiu Neymar, enquanto o programa exibia a cobrança de pênalti contra a Alemanha que garantiu o ouro nos Jogos Olímpicos de 2016.

Veio, então, o trecho mais importante: “Deixa eles falarem. Eu sei do que sou capaz. Eu tomo minhas decisões por ela, pela amarelinha. Quando entro em campo, sou eu, meus companheiros de equipe, meus pais, meus amigos, todos que eu amo, e milhões de brasileiros. É pesado? É. Mas nós temos que matar essa no peito, driblar e meter pro gol. É agora”.

Esta mensagem toda, e a forma como a Globo a exibiu, reforça a impressão de que a a seleção brasileira depende totalmente de Neymar. Assim como em 2014. Talvez seja a realidade mesmo, mas não é muito reconfortante. 

Mais Mauricio Stycer