Mauricio Stycer

Pisão em Neymar tira Galvão do sério: "seu juiz, o senhor é frouxo"

Getty Images
Neymar se contorce após jogada na lateral de campo Imagem: Getty Images
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Colunista do UOL

02/07/2018 12h54

Além de levar o Brasil às quartas-de-final da Copa, a partida contra o México serviu para reconciliar Galvão Bueno com Neymar. O narrador da Globo elogiou a atuação do camisa 10, realçou o seu comportamento mais solidário em campo e, mais importante, não chamou mais Philippe Coutinho de “o craque do time”. Ao contrário, criticou o camisa 11: “Não foi um grande dia dele”.

"Foi a melhor partida dele na Copa", disse o narrador. "Foi ótimo", concordou o comentarista Casagrande". O novo momento de Galvão com Neymar ficou claro no segundo tempo, quando o narrador se indignou com um pisão que o atacante sofreu de Layún. Vendo as imagens e a falta de reação do árbitro italiano Gianluca Rochi, reclamou: “Imagem mais clara que essa não existe”. E, como o italiano não deu cartão amarelo ao jogador mexicano, o narrador gritou: “Quer saber uma coisa? Seu juiz, o senhor é frouxo.”

O narrador também perdeu a calma ao perceber que o árbitro iria dar um cartão amarelo a Casemiro, o que deixará o volante fora da próxima partida do Brasil: "Não!!!!!!!!!!", gritou Galvão. Empolgado, em seguida, chamou o jogador de Cícero duas ou três vezes, confundindo os espectadores.

Empolgado com o segundo gol, o narrador começou a pedir o fim do jogo e voltou a reclamar do árbitro, que determinou seis minutos de acréscimo: “Calma, Galvão”, pediu o comentarista de arbitragem Arnaldo Cezar Coelho.

O primeiro tempo, em que a seleção mexicana se mostrou melhor que a brasileira em alguns momentos, assustou o narrador. “O time do México melhorou muito. Durante muito tempo foi saco de pancadas. Hoje não é mais”, disse. No intervalo, depois de ver o lances dos primeiros 45 minutos fez uma crítica inesperada: ““Nossa edição dos melhores momentos foi bem favorável pro time brasileiro. Teve lances mexicanos no começo.”

Audiência
Dados prévios do Ibope indicam que a partida entre Brasil e México, exibida pela Globo entre 11h e 12h51 (tempo de bola rolando), registrou média de 57 pontos em São Paulo (com 82% dos aparelhos ligados). É o mesmo resultado do jogo contra a Sérvia e um ponto a menos que o recorde alcançado nesta Copa, 58 pontos, na partida contra Costa Rica.

O resultado representa um crescimento de 375% em relação à média da faixa horária nas últimas quatro segundas-feiras anteriores ao início da Copa. Estes números podem sofrer alteração na terça-feira (03) quando o Ibope divulgar dados consolidados.

No Rio, a Globo registrou prévia de 55 pontos (e 84% de share) com Brasil e México. O resultado significa um crescimento de  244% à média da faixa nas últimas quatro segundas antes da Copa.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Mauricio Stycer

Topo