Topo

Mauricio Stycer


Sem seleção brasileira, equipe da Globo ocupa espaço e emociona na final

Reprodução/Instagram
Galvão Bueno e Arnaldo Cezar Coelho após a final da Copa do Mundo de 2018 Imagem: Reprodução/Instagram
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

É jornalista desde 1986. Repórter e crítico do UOL, autor de um blog que trata da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Colunista do UOL

2018-07-15T17:01:58

15/07/2018 17h01

Não foi a final que os brasileiros queriam, mas a Globo não decepcionou quem esperava por emoção na última partida da Copa. Sem a seleção brasileira em campo, coube à própria equipe da emissora ocupar o espaço vago e abalar o coração dos espectadores.

Claramente torcendo pelos croatas, Galvão Bueno narrou a vitória da França por 4 a 2 valorizando o heroísmo dos derrotados, que chegaram à final “exaustos” após disputarem três prorrogações.

Mas o melhor veio após a premiação das duas equipes. Casagrande deu o tom da emoção ao dizer: "Pra mim, essa é a Copa mais importante da minha vida. Eu tive uma proposta quando saí do Brasil que era chegar aqui pela primeira vez numa Copa do Mundo sóbrio, permanecer sóbrio e voltar para minha casa sóbrio”, disse o comentarista antes de começar a chorar. Logo depois, Casão foi abraçado e recebeu um beijo de Galvão Bueno, que se segurou. “Assim você me faz chorar também”.

Na sequência, foi a vez de Arnaldo Cezar Coelho pedir a palavra para anunciar a sua aposentadoria como comentarista de arbitragem da Globo. "A vida da gente é feita de fases. Copa do Mundo é grande momento da vida do árbitro. Eu tive momento como árbitro e quero dizer que está chegando ao fim também essa fase. Eu quero me distanciar um pouco, quero me dedicar um pouco à família e aos meus negócios. É uma equipe grandiosa. A Rede Globo me ensinou muita coisa. Uma nova fase vai vir. Agradeço a todos."

Por fim, coube ao próprio Galvão deixar no ar uma dúvida sobre a sua aposentadoria: "Não sei se é minha última Copa do Mundo narrando. Talvez seja. Comecei em 74, mas se tiver sido minha última Copa narrando, e provavelmente seja, foi especial, emocionante, maravilhosa, como se tivesse sido a primeira. Foi uma Copa realmente de mexer com o coração de todos nós."

Em sua conta no Instagram, Galvão esclareceu: "As pessoas às vezes não entendem o que eu falo. Eu disse que talvez tenha sido minha última narração de final de Copa do Mundo depois de 12 Copas. Eu quero estar no Qatar. O Arnaldo vai estar lá, nem que seja de turista. Vai estar do meu lado, pra me ajudar, porque eu não sei mais trabalhar sem ele".

Mais cedo, o “Esporte Espetacular” exibiu uma longa reportagem na qual os repórteres que participaram da cobertura da Copa falaram de suas emoções. “Um olhar sobre a experiência de viver esses momentos que entraram para a história”, explicou a apresentadora Fernanda Gentil.

Foi, enfim, um domingo emocionante, ainda que não exatamente da forma que o torcedor brasileiro esperava, com a sua seleção em campo.

Mais Mauricio Stycer