Topo

Renato Mauricio Prado


Pintou o artilheiro da Copa

Murad Sezer/Reuters
Cristiano Ronaldo comemora gol de Portugal contra a Espanha Imagem: Murad Sezer/Reuters
Renato Mauricio Prado

Renato Mauricio Prado é jornalista e trabalhou no Globo, Placar, Extra, Rádio Globo, CBN, Rede Globo, SporTV e Fox Sports. Assina atualmente uma coluna diária no Jornal do Brasil. A primeira Copa que cobriu in loco foi a da Argentina, em 1978.

2018-06-15T17:44:58

15/06/2018 17h44

Se Cristiano Ronaldo marcou três gols contra a fortíssima seleção da Espanha, quantos fará, nos dois próximos jogos desta primeira fase, diante das fraquíssimas equipes do Irã e do Marrocos? Lionel Messi e Neymar que ponham as barbas de molho. Pintou o artilheiro da Copa da Rússia.

Foi uma atuação soberba do gajo que, se pode dizer, empatou sozinho com os espanhóis. Com seu tradicional estilo “tic-tac”, a equipe agora dirigida por Fernando Hierro, mas muito bem preparada por Julen Lopetegui, dominou o campo inteiro e tinha quase tudo para vencer até com certa tranquilidade. Disse quase por que do outro lado estava o atual melhor jogador do mundo. E por causa dele, apenas por causa dele, Portugal conseguiu se colocar duas vezes à frente do placar: 1 a 0 e 2 a 1.

Ao voltar do intervalo ainda mais decidida, a Espanha botou a casa em ordem em apenas 12 minutos. Com 3 a 2 no placar e diante de um Portugal que não conseguia armar nenhuma jogada ofensiva à altura de seu supercraque, a partida parecia definida.

Aí, o recém-empossado técnico espanhol Hierro cometeu um erro fatal. Resolveu tirar de campo três de seus melhores jogadores, provavelmente, pensando em poupá-los para os próximos compromissos. E saíram Iniesta, Diego Costa e David Silva. Não sei se Lopetegui cometeria tal besteira.

Na base do coração, os portugueses se lançaram ao ataque e ele, sempre ele, marcou pela terceira vez. Aos 42 minutos, cavou uma falta de Piqué, na entrada da área, e a cobrou magistralmente, determinando o empate final em 3 a 3. Coroou assim uma atuação estupenda, magnífica, digna de um jogador que foi eleito cinco vezes o melhor do mundo.

Lionel Messi estreia neste sábado, diante da inexpressiva Islândia. Pode ser até que também faça três ou mais gols. Mas duvido que sua atuação se equipare a do português, contra uma das favoritas ao título.

Quais são as chances de Portugal nesta Copa? Difícil vê-lo como candidato ao título, embora seja o atual campeão europeu. Apesar do empate, a Espanha me parece mais forte e se mantém entre as favoritas a levantar o caneco.

Mas é bom nunca desprezar um time, qualquer que seja ele, que conta com Cristiano Ronaldo. Ele é sempre capaz de desequilibrar. E é essa a tática portuguesa, contra rivais mais poderosos. Retranca forte e bola pra CR7. Do jeito que ele começou a Copa, nada é impossível.

Mais Renato Mauricio Prado