Copa 2018

Danilo em alta, defesa nervosa: como reservas aproveitaram "prova" com Tite

Pedro Martins/MoWa Press
Danilo, lateral da seleção brasileira, foi destaque no amistoso com o Japão Imagem: Pedro Martins/MoWa Press

João Henrique Marques e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Lille (França)

10/11/2017 17h00

Neymar fez gol, Gabriel Jesus também. Pela esquerda, Marcelo brilhou novamente e acertou um belo chute no ângulo do goleiro do Japão para marcar no 3 a 1 da seleção sobre os asiáticos em Lille (França), nesta sexta-feira (10). Além de todo o brilho dos titulares já consolidados, o que o técnico Tite queria mesmo ver era a atuação de alguns reservas que ganharam oportunidade no duelo no campo do estádio Pierre-Mauroy.

A necessidade de observar o grupo era tanta que o técnico terminou o confronto com uma equipe praticamente reserva. Do time-base que brilhou nas Eliminatórias, apenas Casemiro seguia em campo.

Na prova de Tite, o desempenho geral foi considerado positivo. Alguns nomes, no entanto, assumiram um destaque especial. Foi o caso do lateral Danilo. De olho na vaga de reserva de Daniel Alves, o jogador do Manchester City brilhou com triangulações pela direita do ataque e participou diretamente de dois gols.

Outro nome que aproveitou o espaço dado por Tite foi Taison. Mesmo com poucos minutos, o atacante que entrou no lugar de Willian demonstrou confiança e armou bons lances pela direita.

Também na frente, Diego Souza e Douglas Costa não chegaram a brilhar e mostraram apenas disposição para tentar surpreender Tite. O primeiro ainda sofreu com a falta de entrosamento, enquanto o segundo segurou demais a bola na ânsia de resolver os lances ofensivos.

Giuliano e Fernandinho, com mais bagagem na seleção, não comprometeram. O primeiro só pecou em finalizações, mas chegou bem na área. Já o segundo ratificou a boa fase com boa marcação, passe e posicionamento. Alex Sandro, pela esquerda, também não oscilou.

O grande problema acabou aparecendo na defesa. Jemerson, que ainda tenta se consolidar como quarta opção na zaga, vacilou no gol japonês ao estar um passo à frente do atacante e ser superado no alto em lance de cabeça. Já o goleiro Cássio, que entrou no intervalo, admitiu enorme nervosismo e sofreu um gol que muitos consideraram defensável – Tite o absolveu.

Além de defender Cássio de uma possível falha, Tite evitou análises precipitadas e disse que o resultado de sua “prova” não virá apenas de um jogo.

“É todo um trabalho, não só o jogo. Toda a oportunidade durante a semana. São ações individuais em treinamentos que nos mostram isso. Futebol também é da relação humana, do convívio, do aspecto de equipe, concentração. O dia a dia nos proporciona ver isso”, explicou o treinador.

E dificilmente Tite terá novo teste com tantas peças antes de fechar a lista final. Na próxima terça (14), em Londres, a ideia é utilizar força máxima diante da Inglaterra. Após testar os jogadores de maneira individual, a comissão técnica quer testar a equipe titular como um todo no último compromisso de 2017.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo