Copa 2018

Rússia testa Brasil com "ritmista" Coutinho e põe D. Costa em prova de fogo

Lucas Figueiredo/CBF
Douglas Costa, que substituirá Neymar, em treino de véspera do Brasil em Moscou Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Danilo Lavieri e Dassler Marques

Do UOL, em Moscou (Rússia)

23/03/2018 00h01

Tite mencionou, repetiu e insistiu, desde o último Carnaval, que a seleção brasileira dele tinha uma clara necessidade até a Copa do Mundo marcada para junho: encontrar um ou mais “ritmistas”. A missão foi depositada em Philippe Coutinho para o amistoso desta sexta-feira (23), em Moscou. O duelo no Estádio Luzhniki se inicia às 13h (de Brasília) e coloca o jogador do Barcelona em evidência.

Primeiro, pura e simplesmente porque Neymar está fora e Coutinho é, na atualidade, o segundo jogador mais caro do mundo. Mas, até acima desse aspecto, está o que Tite espera dele no amistoso contra os russos, em caminhada cambaleante até a Copa dentro de casa, mas visto pelo treinador brasileiro como um rival valoroso pelo jogo físico e defensivo. É aí que se encaixa o "ritmista".

No Brasil que ascendeu à Copa via Eliminatória, Coutinho se notabilizou como o "flutuador", mais um dos muitos termos cunhados por Tite. Escalado pela ponta direita, ele se encaixava em qualquer espaço oferecido pela defesa adversária. Foi assim que surgiu, pelo corredor oposto, para anotar um golaço contra a Argentina no Mineirão. Ou, pelo centro, em outro golaço, diante do Paraguai em São Paulo.

O primeiro duelo do Brasil de Tite contra uma seleção europeia, em novembro contra a Inglaterra, escancarou ao treinador a necessidade de encontrar mais alternativas para criar. Coutinho, então, por ora deixou de ser o “flutuador” para ser o ritmista. Ele jogará pelo centro do campo, na mesma faixa ocupada por Renato Augusto, com a missão de combinar jogadas e ajudar a abrir espaços, principalmente, para os ponteiros escalados. Será o responsável por dar o ritmo ao time como faz o ritmista em uma escola de samba.

Com 15 gols e 10 assistências na temporada dividida entre Liverpool e Barcelona, Coutinho não é, claro, o único jogador capaz de controlar a bola e o tempo no elenco. Tite também tem apostado em Fred, acompanhado de perto no Shakhtar e cotado para um clube maior pós-Copa. Com experiência pelo futebol da Ucrânia, é uma opção caso o treinador queira um meio-campista de passes mais objetivos e precisos. Na lista de observados pela comissão, é hoje onde há mais nomes (Talisca, Arthur, Diego, Giuliano, Lucas Lima, Rodriguinho...). 

Coutinho pelo meio pode abrir um leque enorme

Kim Klement-USA TODAY
Coutinho e Willian: eles podem jogar juntos Imagem: Kim Klement-USA TODAY

De futebol muito admirado pela comissão técnica de Tite, e um coadjuvante importante com Dunga, Douglas Costa, por tantos problemas físicos, só conseguiu fazer um jogo de titular com o atual treinador. E, pior, não foi nada bem na oportunidade: o amistoso diante da Argentina. O treinador, e todos os brasileiros, certamente terão um olhar especial para o jogador que assume a vaga de Neymar.

Em temporada de recuperação na Juventus, Douglas deve ficar bem aberto à esquerda para gerar – outra palavra que Tite gosta muito – amplitude. Contra uma defesa fechada, significa que os jogadores das pontas precisam abrir bastante o campo para criar espaços. E se Douglas conseguir receber a bola nessas condições, o técnico brasileiro sabe, pode gerar danos nos rivais.

À espera de Neymar para a Copa, o Brasil está ciente que precisa encontrar alternativas para o caso de precisar, em algum momento, viver sem ele, como ocorreu no último Mundial. Se por um lado são raras as lesões do camisa 10, por outro as suspensões são comuns. Nas Eliminatórias, ele recebeu cartão amarelo em seis de 14 jogos disputados. Tite sabe que, com Douglas Costa, ganha como opção um jogador acostumado a duelos do mais alto nível.

Por falar em opções, é exatamente com isso que o treinador brasileiro espera deixar a Rússia e o próximo jogo com a Alemanha, na terça que vem. Se Coutinho funcionar bem, se Douglas Costa fizer um bom jogo e se o Brasil lidar bem com a retranca russa, ele ficará mais que satisfeito. Até porque se abre mais uma alternativa: aproveitar que Willian vive, no Chelsea, sua melhor temporada e, assim, poderia achar um espaço a mais no time brasileiro. 

FICHA TÉCNICA

RÚSSIA x BRASIL

Data: 23 de março de 2018, sexta-feira
Horário: 13h (de Brasília)
Competição: Amistoso
Local: Estádio Luzhniki, em Moscou (Rússia) 
Árbitro: Aleksei Kulbakov (Belarus) 
Assistentes: Dzmitry Zhuk e Aleh Maslianka (ambos de Belarus) 

RÚSSIA: Akinfeev; Smolnikov, Neustädter, Semyonov (Kutepov), Kudryashov e Rausch ; Glushakov, Dzagoev e Golovin; Miranchuk e Smolov. Treinador: Stanislav Cherchesov. 

BRASIL: Alisson; Dani Alves, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Willian, Paulinho, Coutinho e Douglas Costa; Gabriel Jesus. Treinador: Tite.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo