Copa 2018

Ex-vendedor de leite é candidato à surpresa da Inglaterra para a Copa

Andrew Boyers/Reuters
O goleiro Nick Pope treina pela seleção da Inglaterra Imagem: Andrew Boyers/Reuters

Vanderson Pimentel

Do UOL, em São Paulo

27/03/2018 04h00

A temporada 2017/2018 começou empolgante para Nick Pope. Após anos atuando em times menores, o jogador finalmente seria o reserva de uma equipe pequena do Campeonato Inglês. Sete meses depois, o goleiro vive o sonho de estar jogando pela seleção inglesa.

O camisa 29 do Burnley foi a principal surpresa do técnico Gareth Southgate na lista de convocados para os amistosos contra Holanda e Itália. Pope virou titular do time após Tom Heaton, nome constante na Inglaterra, lesionar o ombro em setembro. Apesar da desconfiança, o goleiro não só literalmente agarrou a oportunidade como vem sendo um dos principais destaques do time 7º colocado do Inglês, com a 4ª defesa menos vazada do torneio.

No entanto, sua história de superação vai muito além desta temporada. Nascido em 1992, Pope viveu uma grande decepção no futebol que quase o fez largar as luvas: o goleiro foi dispensado do Ipswich Town, seu time de coração, quando ainda tinha 16 anos de idade.

Anos difíceis

As esperanças remotas de seguir jogando e as dificuldades financeiras fizeram com que Pope se dividisse entre os estudos na faculdade e em empregos menores.

"Fiz dois anos de marketing comercial e um ano de ciência do esporte e tive alguns empregos ao mesmo tempo. Eu trabalhei como entregador de leite e em uma loja de roupas também. Não pagou muito. Eu entrava às 4h num vilarejo perto de Soham (sua cidade natal)", disse o goleiro em entrevista coletiva.

Mesmo trabalhando e estudando, Pope ainda não havia desistido de seu sonho e então com 17 anos, foi jogar no Bury Town, em 2008, e permaneceu na equipe semi-profissional da oitava divisão inglesa até 2011.

Reprodução/Twitter
Pope se dividia entre trabalho, estudos e futebol amador Imagem: Reprodução/Twitter

"Essa situação me permitiu jogar 150 partidas em três anos, algo que nas categorias de base é impossível. Eu pude entrar no jogo dos homens e jogar com pouca idade e isso foi um trampolim que me ajudou a crescer como jogador", afirmou.

Com 19 anos, Pope assinou o seu primeiro contrato profissional com o Charlton Athletic, em 2011. Apesar de ter abandonado os estudos para se dedicar totalmente ao futebol, o goleiro teve poucas chances na equipe da terceira divisão inglesa e foi emprestado a seis clubes de divisões menores durante quatro anos. "Jogávamos em alguns lugares difíceis, que talvez nem estivessem no mapa, para 10 homens e um cachorro."

Pope finalmente virou titular do Charlton em 2015. Apesar do time ter caído para a terceira divisão, suas atuações chamaram a atenção do Burnley, que o contratou no início da temporada seguinte. Terceiro goleiro em seu primeiro ano, Pope fez apenas quatro jogos em partidas da Copa da Inglaterra e da Copa da Liga Inglesa, e teve sua primeira oportunidade no Campeonato Inglês somente em setembro do ano passado.

Melhor goleiro inglês

Apesar de nunca sequer ter tido chances nas seleções inglesas de base, ao contrário dos outros 3 goleiros convocados, Pope tem números melhores nesta temporada do que Jordan Pickford, contratado pelo Everton por 25 milhões de libras, Jack Butland, goleiro do Stoke que chamou a atenção do Liverpool e o experiente Joe Hart, que perdeu a titularidade no West Ham e também na seleção inglesa nos últimos jogos.

John Sibley/Reuters
Pickford, Hart e Butland são os concorrentes e companheiros de Pope Imagem: John Sibley/Reuters

O goleiro do Burnley foi o inglês menos vazado e que passou mais jogos sem sofrer gols. Além disso, Pope tem o melhor número de interceptações em bolas paradas entre todos os goleiros do Campeonato Inglês e não cometeu nenhuma falha nos 27 jogos em que atuou pela competição nacional.

Apesar dos números o colocarem como o melhor goleiro inglês nesta temporada, Pope não possui a mesma experiência dos outros três. Mesmo assim, o jogador mostrou em depoimento ao site da federação inglesa que a convocação já foi muito mais do que ele mesmo imaginaria.

"Mesmo com a chance de ir para a Copa do Mundo, é algo que, no início do ano, eu nem sonharia ou acharia que alguém escreveria isso, muito menos eu. Mas agora estou aqui, tenho que aproveitar e provar que eu posso aqui".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo