Topo

Copa 2018


Muro alto e isolamento: base inglesa na Copa é chamada de "fim do mundo"

Catherine Ivill/Getty Images
Southgate quer privacidade e nada de agito perto da Inglaterra na Copa Imagem: Catherine Ivill/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

2018-04-02T04:00:00

02/04/2018 04h00

Isolada e o mais escondida possível. Assim a Inglaterra pretende ficar durante sua participação na Copa do Mundo na Rússia. Da cidade escolhida pela comissão técnica chefiada por Gareth Southgate à estrutura do campo de treinamento, tudo está sendo pensado para que os ingleses possam se concentrar só em futebol. Sua base, inclusive, já foi apelidada de “fim do mundo”.

A definição exagerada foi feita pelo jornal “The Sun”, que no fim de 2017 visitou o local escolhido pelos ingleses. A expressão completa para definir o quartel-general na reportagem foi: “parece o fim do mundo, com pouco para fazer e quase nada para ver”.

Repino tem menos de três mil habitantes e fica a cerca de 40 km de São Petersburgo. O aeroporto mais próximo está a 2h de viagem, percurso que a seleção terá que fazer para seus três compromissos na fase de grupos.

Já o estádio escolhido para os treinos fica em Zelenogorsk, a 11km. Southgate elogiou muito a estrutura do campo, mas fez um pedido especial: quer um muro de seis metros de altura para trabalhar totalmente em segredo, longe de “espiões” e curiosos em busca de informações sobre seu time.

“Isso não está incluído nas obrigações estabelecidas pela Fifa, mas estamos considerando a possibilidade de cumprir com esse pedido”, avisou Sergei Klimov, responsável pelo setor de obras da cidade.

Repino é um local conhecido como famoso refúgio para quem busca tranquilidade, com muitas opções de chalés e longe de grandes pontos comerciais, como shoppings imponentes e lojas refinadas. Segundo o “The Sun”, a vida em Repino é ditada pelos turistas e pela pequena economia local, com boas opções de restaurantes.

Assim, se os jogadores da Inglaterra projetaram uma intensa experiência cultural na Rússia, eles precisarão alinhar suas expectativas. No que depender do cenário desenhado por Southgate, o dia a dia dos ingleses será de futebol e descanso.

A Inglaterra foi eliminada na primeira fase da última Copa, no Brasil, e não chega às semifinais desde a edição de 1990. Na Rússia, está no grupo G, ao lado de Bélgica, Tunísia e Panamá.

Mais Copa 2018