Copa 2018

Gabigol, Muralha... Do início de Tite à Copa, quem ficou pelo caminho?

Eduardo Anizelli/Folhapress
Gabriel Barbosa participou do ouro na Rio-2016, foi chamado por Tite, mas acabou esquecido Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress

Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em São Paulo

13/05/2018 04h00

Com uma base definida, Tite trará poucas novidades ao divulgar a lista final da seleção brasileira para a Copa do Mundo. Mais da metade dos presentes na relação desta segunda (14) já marca presença desde a primeira convocação. São nomes já gravados pelos torcedores. Alguns outros, no entanto, caíram no esquecimento e nem sequer são mais lembrados como opções para a equipe que buscará o hexa.

Confira a tabela completa e o calendário de jogos
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
DOC: a Rússia Gay que não pode sair do armário

Entre aqueles que se perderam no caminho, alguns se destacam, especialmente aqueles que estiveram na primeira lista e não passarão nem perto da relação mais importante. É o caso de Weverton, Rafael Carioca e Gabigol. Por motivos distintos, o titular do gol no ouro olímpico, o volante que joga atualmente no futebol mexicano e o jovem atacante do Santos abriram espaço para outros nomes.

No caso de Weverton, além da excelente fase de nomes como Éderson, Cássio, Neto e outros, pesou contra o ex-goleiro do Atlético-PR a tumultuada transferência para o Palmeiras. No Alviverde, apesar de ser aposta do diretor Alexandre Mattos, viu o técnico Roger Machado preferir Jailson, brigando com Fernando Prass para não ser o terceiro goleiro. A falta de ritmo no Palestra o afastou de vez da seleção brasileira.

Já Rafael Carioca viu uma queda acentuada no próprio clube onde atuava na época da primeira convocação. Após perder espaço no Atlético-MG, foi negociado com o Tigres (México) e saiu do radar de Tite. Ainda que tenha sido titular em boa parte dos jogos do time no título mexicano, não impressionou a comissão técnica de Tite, que nunca mais o chamou de volta.

Gabigol, por sua vez, acumulou mais que motivos técnicos para perder espaço com a amarelinha. Além do desempenho abaixo do esperado no Benfica e da queda na Europa, o jovem incomodou a comissão técnica por sua postura na primeira convocação – jogos contra Equador, em Quito, e Colômbia, em Manaus. Gabriel Barbosa não respondeu bem às orientações e mostrou irritação ao ser preterido para a entrada de Gabriel Jesus. Foi a senha para nunca mais regressar à lista.

Nos chamados seguintes de Tite, outros nomes que marcaram presença mais de uma vez se perderam com o tempo. Alex Muralha é um dos símbolos da queda de prestígio. Em alta, então, no Flamengo, foi negociado com o futebol japonês após um 2017 de inúmeras críticas. Ficou sem ambiente na Gávea e na seleção.

Diego Souza chegou a ter prestígio, mas se afastou da seleção ao não corresponder na função de centroavante. Outra aposta da comissão técnica, Jemerson decepcionou nos jogos finais de 2017 e não é mais mencionado nem entre os nomes observados por Tite.

No mesmo período, nomes como Neto, Cássio, Danilo, Alex Sandro, Arthur, Fred, Firmino, Anderson Talisca, William José e Douglas Costa passaram a sonhar com o Mundial. Nesta segunda (14), às 14h, na sede da CBF, Tite, enfim, revelará quem estará na Rússia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo